Archive for the '2011' Category

Press Start 2011: contemporâneo e nostálgico; épico e diversificado

Por Alexei Barros

Após o lançamento do mediano álbum Press Start 5th Anniversary e as enfadonhas reprises na comemoração dos cinco anos de existência dos concertos no Press Start 2010, o Press Start 2011 veio para retomar no dia 14 de agosto o principal motivo de estima pela série japonesa de récitas: seleções magistrais de jogos japoneses, velhos e novos, alguns difíceis de imaginar em outros espetáculos do gênero.

Comentarei as escolhas de faixas mais detalhadamente após o Hadouken, mas pareceu ter sido um evento extraordinário, o que faz aumentar o desejo pelo segundo CD. Na condução de Taizo Takemoto, a Kanagawa Philharmonic Orchestra tocou no Shinjuku Bunka Center Hall, em Tóquio, às 14 e depois às 18 horas locais. Vale lembrar que, pela primeira vez, será realizada uma terceira apresentação no Japão, marcada para o dia 19 de setembro em Nagoya, com a Nagoya Philharmonic Orchestra no Century Hall do Nagoya International Conference Hall e regência de Kosuke Tsunoda. Continue lendo ‘Press Start 2011: contemporâneo e nostálgico; épico e diversificado’

Press Start 2011: os artistas do concerto

Por Alexei Barros

Como em 2009 e 2010, o site do Press Start publicou a relação de instrumentistas e vocalistas que participará do espetáculo, o que permite imaginar de que maneira será realizada cada performance. Neste ano, os segmentos de cada artista estão especificados, como se não bastasse a facilidade de previsão pela presença de vários artistas das trilhas originais.

Antes vale recapitular o set list. Com 12 números confirmados (duas ou três surpresas ficam reservadas para o bis), está muito mais interessante do que no ano passado, com apenas dois jogos reprisados: “Okami”, que eu não vejo o menor objetivo na repetição por estar devidamente registrado no Press Start 5th Anniversary, e Spelunker, que também consta no mesmo álbum, mas pelo menos o arranjo foi reformulado. A saber, levando em conta que o programa segue a ordem de revelação:

01 – El Shaddai: Ascension of the Metatron
02 – Gradius
03 – Super Mario Galaxy 2
04 – Xenoblade Chronicles
05 – NieR
06 – Final Fantasy IV
07 – Pokémon
08 – The Last Story
09 – Okami (2009)
10 – Medley de músicas eruditas
11 – 428 ~Fuusasareta Shibuya de~
12 – Spelunker (2008; reformulado)

O violonista e guitarrista Haruo Kubota, presente em todos os concertos anteriores, não tocará desta vez. Como não foi confirmado um coral (de adultos só no Press Start 2007), não espero pela “Torn Heart” de El Shaddai e “Fateful Decisive Battle” do Super Mario Galaxy 2. Nada impede que apareçam em versões instrumentais, mas isso não é muito comum no Press Start.

Kanagawa Philharmonic Orchestra

Na ativa desde março de 1970, é uma orquestra premiada que atua em performances de música erudita, trilhas de filmes, balé e pop. Em games também é versada: Orchestral Game Concert 5, Distant Worlds Returning home, além do Press Start 2008 e 2010, tornando-se a orquestra mais atuante na série de concertos japonesa. Em 2011, tocará dia 14 de agosto, nas apresentações das 14 e 18 horas locais no Shinjuku Bunka Center Hall. Ambas sob a batuta de Taizo Takemoto.

Kosuke Tsunoda

Nascido em Nagoya em 1980, vai substituir Takemoto na regência na apresentação no Century Hall do Nagoya International Conference Hall em Nagoya no dia 19 de setembro, às 17 horas. Graduou-se na State University for Music and the Arts em Tóquio e já conduziu orquestras como a Berlin Konzerthaus Orchestra, Brandenburg Symphony Orchestra, MDR Symphony Orchestra e Hof Symphony Orchestra. Não é primeira vez que ele participa da série nipônica de concertos; Tsunoda foi o maestro do Press Start 2008 em Xangai, o último a acontecer na China.

Nagoya Philharmonic Orchestra

Constituída em 1966, tem como maestro laureado Ken-Ichiro Kobayashi, maestro emérito Moshe Atzmon e diretor musical Bob Sakuma. O suíço Thierry Fischer é o atual maestro convidado honorário. Já fez quatro turnês no ocidente e costuma realizar 120 apresentações por ano. Aparentemente, a orquestra tem pouca intimidade com game music, tanto em concertos, quanto em gravações de trilhas originais.

ACE

Dupla formada por CHiCO Yamanaka e Tomori Kudo, participou das trilhas de Tamagotchi 64: Minna de Tamagotchi World, Bomberman 64: The Second Attack e Emil Chronicle Online. O duo também arranjou as composições de Nobuo Uematsu no álbum solo Nobuo Uematsu’s 10 Short Stories. Com o reforço de Kenji Hiramatsu, tornou-se o trio ACE+ na trilha de Xenoblade Chronicles. Mas somente CHiCO e Tomori Kudo vão participar da performance: a primeira no vocal e o outro no piano.

Manami Kiyota

Cantora que se notabilizou no álbum com arranjos Final Fantasy Song Book [mahoroba] e na performance da Sen no hana, sen no sora, música composta por Nobuo Uematsu para o programa de rádio e TV da NHK Minna no Uta. Mais bizarro, ela é a autora de canções com proteções de tela interativas para as máquinas da JAXA, a agência espacial japonesa. Seu mais recente álbum solo Hoshi no Kashu possui uma faixa arranjada por Kenichiro Fukui. Recentemente, colaborou na trilha de PokéPark Wii: Pikachu’s Adventure. Compositora de diversas músicas de Xenoblade Chronicles, participando ainda do coral, fica a dúvida como será a performance na companhia da CHiCO.

Emi Evans

Artistas ocidentais não são exatamente uma novidade no Press Start, haja vista a australiana Donna Burke em 2010. Nascida em Londres, Inglaterra, Emiko Rebbeca Evans é filha de pai britânico e mãe japonesa, o que explica os leves traços orientais, e mora desde 2000 no arquipélago nipônico. É cantora, letrista, compositora, violoncelista e com Hiroyuki Muneta forma o duo de música eletrônica de ambiente freesscape. Participou de diversos comerciais de TV, como das TVs 3D Viera da Panasonic. É autora da canção “Light” do J-Drama Honcho 4 da TBS e da música-tema do telejornal Ohayou da NHK. Aos poucos, entrou no mundo dos games com as performances vocais na “Town – The Roadside Trees Outside the Window [Town Facility - Etria Plaza - Day]” e “Town – Bird-Shaped Vane on the Triangular Roof [Town Facility - Etria Plaza - Day 2]” do Sekaiju no MeiQ Super Arrange Version e “Labyrinth IV – Cherry Tree Bridge [Dungeon 16 ~ 20F]” do Sekaiju no MeiQ² *shoou no seihai* Super Arrange Version. No álbum Octave Theory da Earthbound Papas, tocou cello na composição original “The Forest of Thousand Years”. E então finalmente chegamos na trilha de NieR. Além de cantar várias faixas, ela também escreveu as letras das canções em idiomas fictícios baseados nos idiomas gaélico, português, espanhol, italiano, francês, inglês e japonês. Sabe se lá quais composições haverá no segmento, mas a “Grandma” é obrigatória.

Kanon

Nascida em março de 1980, a cantora se projetou com a canção “Wings to Fly ~ Tsubasa wo Kudasai” do J-Drama Chiritotechin da NHK. Nos dias 15 e 16 de abril de 2011, Kanon chegou a participar das apresentações no Sydney Opera House na Austrália da turnê Distant Worlds, interpretando a “Suteki da ne” (como no jogo, em japonês mesmo; a música havia recebido uma versão inglês com performance vocal da Susan Calloway) e a “Memoro de la Stono~Distant Worlds” (em inglês). Em abril, lançou o álbum A New Story com sete das 12 faixas compostas por Nobuo Uematsu: “Prelude”, “Final Fantasy”, “Eyes On Me”, “Guin Saga Medley (Marius’ Song ~ This is my Road)”, “Taisetsunakoto” (composição original), “Nakama wo Motomete” e “Toberumono”, a canção que ela canta na trilha original de The Last Story e que será apresentada. O Symphonic Odysseys já mostrou a mesma faixa, “The Last Story (Spreading Your Wings)”, com arranjo do finlandês Jani Laaksonen baseado na versão instrumental.

HIDE-HIDE

De novo… fazer o quê. Hideki Ishigaki no shakuhachi e Hideki Onoue no shamisen participaram da supracitada “Okami” no Press Start 2009 e nos dois últimos anos ficaram mais famosos do que quando foram convidados pela primeira vez, e vem ganhando fama na Rússia especialmente. Em junho lançaram o terceiro CD da carreira, Onkochishin, com versões de músicas eruditas executadas por esses instrumentos japoneses. No dia 20 de agosto ainda vão tocar no Monster Hunter Hunting Music Festival 2011.

[via Press Start]

Press Start 2011: Okami, medley de músicas eruditas, 428 ~Fuusasareta Shibuya de~ e Spelunker

Por Alexei Barros

Durante sua existência, a série de concertos Press Start sempre reprisou pelo menos duas faixas dos anos anteriores, exceção óbvia à primeira apresentação, até que em 2010, com a justificativa da comemoração dos cinco anos de aniversário, a maior parte do set list era conhecida. Não que 100% precise ser inédito. Mas, sinceramente, qual o objetivo em tocar Okami e principalmente Spelunker de novo? Ainda mais que ambos foram registrados no Press Start The 5th Anniversary

- Okami

Ao que tudo indica, o arranjo será o mesmo “Okami” de 2009 do Shuhei Kamimura, um dos integrantes do time interno da Company AZA, a produtora do concerto. Na ocasião, a orquestra contou com a companhia da dupla HIDE-HIDE (shamisen e shakuhachi). O maestro gamer Taizo Takemoto relembrou no texto a peculiaridade de Okami de misturar os instrumentos tradicionais japoneses e uma orquestra com instrumentos ocidentais, junção que ficou notabilizada na composição musical “November Steps” de Toru Takemitsu, debutando em 1967, no 125º aniversário da New York Philharmonic. Também citou as trilhas dos filmes O Último Samurai (The Last Samurai; 2003) e Memórias de uma Gueixa (Memoirs of a Geisha; 2005), conhecido como SAYURI no Japão, como casos em que a combinação resultou em uma experiência muito agradável e aceita mundialmente.

- Medley de músicas eruditas

Os compositores eruditos têm relação com game music não somente pela natural influência exercida, mas pelo uso nos jogos, o que foi facilitado pelas músicas serem de domínio público. São vários exemplos de faixas que se tornaram clássicos do videogame, como a “Korobeiniki” do Tetris, “Requiem in D Minor K.626 Dies Irae” do Fatal Fury 2, “The Skaters Waltz” do Antarctic Adventure e quase todas as trilhas da série Parodius. De fato, já foi até lançada uma coletânea do tipo, a Classic in Game Music – Legend Compilation Series. A ideia parece ser similar ao “NES Medley” e testar a memória dos espectadores, talvez com o auxílio do telão. Não entendi o texto do Shogo Sakai, e do pouco que captei, ele salientou que muitas destas utilizadas em jogos foram criadas há mais de 300 anos e que é uma bela maneira de introduzir música erudita à plateia jovem.

- 428 ~Fuusasareta Shibuya de~

Escolha obscura? Para nós ocidentais, sim, mas os atentos deverão saber que o jogo da Chunsoft de Wii, com ports para PlayStation 3 e PSP, levou um 40/40 da Famitsu. Duvido que sairá por aqui, dada a impopularidade do gênero visual novel fora do Japão. Gênero este já foi representado no Press Start com o medley “Kamaitachi no Yoru – Otogirisou” em 2009. Creio que pela duração diminuta das faixas da trilha assinada por Hideki Sakamoto, Naoki Sato e Shingo Yasumoto, o segmento deverá usar mais de uma música. O que não falta são composições boas: “Coming Back Alive”, “Hope”… Lamento não ter conseguido compreender coisa com coisa do que afirmou Kazushige Nojima no texto.

- Spelunker

Spelunker, Spelunker, Spelunker, Spelunker, Spelunker… Já não estava de bom tamanho a “Spelunker” em versão do Nobuyuki Nakamura em 2008? Torço para que, pelo menos, o arranjo seja inédito – Masahiro Sakurai comentou algo nesse sentido, que, mais uma vez, não consegui entender perfeitamente. Como se não fosse muito o segmento próprio o Spelunker também apareceu no “NES Medley” de 2009. Eu prefiro lembrar os oito primeiros títulos para não deixar esvair a expectativa.

Set list até o momento:

01 – El Shaddai: Ascension of the Metatron
02 – Gradius
03 – Super Mario Galaxy 2
04 – Xenoblade Chronicles
05 – NieR
06 – Final Fantasy IV
07 – Pokémon
08 – The Last Story

[via PRESS START]

Press Start 2011: Gradius, Final Fantasy IV e Pokémon

Por Alexei Barros

Mesmo sabendo que não haverá quem grave as apresentações, que ainda é cedo esperar por um novo CD e que se sair deve ser com a reverberação absurda do Press Start The 5th Anniversary e que nem sempre as transições são as mais bem elaboradas, eu não consigo resistir ao set list do Press Start. Se antes parecia contemporâneo demais com os cinco números previamente anunciados no Twitter, os três segmentos comunicados na matéria da Famitsu e na abertura do site na versão Press Start 2011 garantem o fator nostalgia tão bem representado nas edições anteriores.

Já foram confirmados as datas, os locais e as orquestras e, pela primeira vez, haverá três apresentações em um ano. No dia 14 de agosto, o Shinjuku Bunka Center Hall abrigará duas execuções da Kanagawa Philharmonic Orchestra (a mesma do Press Start 2008 e 2010), sob a regência de Taizo Takemoto, às 14 horas e outra às 18 horas. Quase um mês depois, 19 de setembro, a Nagoya Philharmonic Orchestra realizará a performance no Century Hall do Nagoya International Conference Hall às 17 horas. A novidade é que neste dia o maestro Kosuke Tsunoda assumirá a batuta.

Com isso, me sinto mais confortável para comentar os oito jogos confirmados, mais do que suficiente para um ato, mesmo que cinco deles já tenha abordado superficialmente antes.

- El Shaddai: Ascension of the Metatron

Seleção de jogo lançado mais recentemente, dia 28 de abril. Fiquei impressionado nas primeiras impressões, mas depois de ouvir o álbum todo achei que a repetição acabou imperando, o que não tira o mérito das belíssimas faixas com coral e várias outras. Masahiro Sakurai garantiu a presença da “Theme of El Shaddai”, assinada por Masato Kouda, o compositor de Monster Hunter. Sonho com “Tragic Scream” e “Torn Heart”, mesmo sabendo que é improvável utilizarem um violonista virtuose para a primeira e coral na outra.

- Gradius

Gradius foi um dos 17 jogos escolhidos para o “Shooting Medley” do Press Start 2007 e, assim como Fantasy Zone em 2009, ganhará um segmento próprio muito aguardado (por todo mundo, como escrito no site oficial). Com todo o merecimento, dada a importância musical da trilha original assinada pela Miki Higashino e a extensa discografia, formada por muitos álbuns com versões orquestradas. Kazushige Nojima comentou que muitos jogadores nem tinham nascido quando Gradius foi lançado em 1985, e salientou o grande nível de desafio do shmup. Vai ser difícil não ficar épico o segmento.

- Super Mario Galaxy 2

Afora o Press Start 2006, Mario virou uma tradição do Press Start, e originou um disco promocional com seleções bigodudas, Super Mario Bros. 5th Anniversary Special Sound Track Press Start Edition. Mas faltava SMG2, cuja trilha achei ainda melhor que do primeiro SMG. O texto do maestro Taizo Takemoto trouxe boas memórias, porque ele quem regeu a Mario Galaxy Orchestra na gravação das músicas realizada em fevereiro de 2010. Ainda sonhando com solos de violino, reforço a campanha pela “Square Timber”. Independentemente disso, faixas inspiradas não faltam.

- Xenoblade Chronicles

Desde que redigi aquele post, a localização do RPG para Wii foi confirmada, com o acréscimo de “Chronicles” em relação ao título japonês. No texto de introdução, é elogiada a diversidade da trilha, que é gigantesca e feita por seis compositores, entre eles Yoko Shimomura e Yasunori Mitsuda. Kazushige Nojima fez alguns comentários que fugiram de minha compreensão e diz estar ansioso pelo segmento. Temas mais pesados poderiam ser adaptados para orquestra e até com manutenção da guitarra, visto que Haruo Kubota costuma participar de todas as apresentações.

– NieR

O RPG do PlayStation 3 e Xbox 360 publicado pela Square Enix tem a trilha assinada por quatro compositores do estúdio Monaca: Keiichi Okabe, Kakeru Ishihama, Keigo Hoashi e Takafumi Nishimura, que criaram uma atmosfera única no jogo, com muitas faixas cantadas em idiomas fictícios e acompanhamento de piano. Nobuo Uematsu chegou a comentar a participação da cantora Emi Evans, que, aliás, tocou violoncelo no álbum Octave Theory da Earthbound Papas, mas infelizmente não compreendi o texto pelo tradutor, tampouco sei se ela participará do concerto. Desculpe-me.

- Final Fantasy IV

Considerando que “Final Fantasy Main Theme” (Press Start 2006) é um tema recorrente da série, nunca a série de concertos foi antes do FFVII: “Advent One-Winged Angel” (FFVII Advent Children) em 2007, “Melodies of Life” (FFIX) em 2008 e chegando ao cúmulo de tocar “At Zanarkand” (FFX) duas vezes, em 2009 e 2010. A escolha do jogo, que comemora 20 anos de lançamento e foi recentemente refeito no Final Fantasy IV: The Complete Collection para PSP, é para celebrar com fogos de artifício.

Sabendo que as supramencionadas escolhas foram todas de arranjos conhecidos, temo que o segmento não passe da “Theme of Love” do Shiro Hamaguchi do 20020220. Todavia, além de mencioná-la e comentar que a faixa foi usada em aulas de música para crianças, o texto também destaca a gloriosa “Red Wings”, que inclusive foi orquestrada em uma esquecida versão do Katsuhisa Hattori do OGC1. Pelo pouco que entendi no comentário do Masahiro Sakurai, parece que será um medley, então aguardo pelo melhor.

- Pokémon

Das principais franquias da Nintendo, era uma das poucas ainda não homenageadas, assim como Donkey Kong e Metroid. Difícil de entender a demora, sabendo da popularidade no Japão. Não será a primeira vez que as músicas serão arranjadas – a única iniciativa é o “Pokémon Medley” do Dairantou Smash Brothers DX Orchestra Concert. Embora seja uma completa negação em Pokémon, não foram poucas as vezes que me chamaram a atenção para as músicas da série. O texto introdutório deixa a dúvida no ar se vão ser tocadas as faixas mais antigas ou as novas. Shogo Sakai, o autor do arranjo acima, reforça a qualidade das trilhas nesses 15 anos de série, e revela que Shota Kageyama da Game Freak é o responsável pelo arranjo.

- The Last Story

Quando o RPG lançado no começo da Wii foi confirmado no Press Start 2011, logo imaginei que o arranjo tinha tudo para ser diferente do Symphonic Odysseys, pela diferença de abordagem – a primeira mais literal e a segunda mais artística. Com o comentário do Nobuo Uematsu não há a menor dúvida, visto que os concertos na Alemanha não costumam apresentar as canções pop do jogo com as artistas originais. E é o que acontecerá no Japão: a faixa escolhida é a “Toberu mono”, que terá a mesma vocalista da trilha, Kanon. Enfim, um título da Mistwalker no Press Start, como Blue Dragon e Lost Odyssey não foram lembrados nos anos anteriores.

[via PRESS START, Nonsense Zone]

Na vanguarda, Press Start 2011 com Super Mario Galaxy 2, El Shaddai: Ascension of the Metatron e The Last Story


Por Alexei Barros

Nem sequer existe um logo do Press Start 2011 no site oficial, mas foram anunciadas três novidades quentes (pegando fogo quase) para o repertório do programa: Super Mario Galaxy 2, El Shaddai: Ascension of the Metatron e The Last Story. A notícia vem do recém-lançado Twitter do concerto.

SMG2 estava na cara, como Mario apareceu em todos os anos, menos em 2006. “Se for mantida a tradição de um Mario por Press Start deve ser o candidato com mais potencial a figurar na provável edição 2011”, eu disse, lembra?  Não obstante o pioneirismo, o Symphonic Legends já tinha corrido na frente, com a parte da “The Starship Travels” do “Super Mario Galaxy 2” no magnífico bis “Encore (Currendo. Saltando. Ludendo)”. Seria um sonho ter as composições do Ryo Nagamatsu, como “Fateful Decisive Battle” e a “Square Timber” (difícil de imaginar pelos efeitos eletrônicos e solo de violino).

El Shaddai: Ascension of the Metatron foi lançado ONTEM, 28 de abril, no Japão e a trilha sonora ANTEONTEM. Para quem não estava atento, é um RPG de ação para Xbox 360 e PlayStation 3 da Ignition Entertainment que ainda sairá no ocidente. O álbum El Shaddai: Ascension of the Metatron Original Soundtrack tem a peculiaridade da publicação da Square Enix, apesar de a produtora não estar envolvida no jogo. As faixas são assinadas pelos ex-Capcom Masato Kouda (Monster Hunter) e Kento Hasegawa (Devil May Cry 3 e 4), ambos do Design Wave, que também abriga Masakazu Sugimori, o compositor do Ace Attorney original. A página do VGMdb lista Shiro Hamaguchi, Hayato Matsuo e outros arranjadores do estúdio Imagine, portanto é coisa fina. Só precisa ver se vai haver coral no dia (no Press Start, coro que não de crianças, só em 2007), uma vez que várias músicas têm a performance do Eminence Symphonic Choir. Ouça a primeira metade do “Medley 4” e fique impressionado.

The Last Story, por sua vez, com lançamento que data de 27 de janeiro de 2011, perde um pouco de impacto porque foi um dos últimos números revelados do Symphonic Odysseys, espetáculo alemão em homenagem ao Nobuo Uematsu a acontecer 9 de julho. Como o Press Start é mais literal e o Symphonic mais artístico, creio que teremos dois arranjos bem diferentes.

Com Nier e Xenoblade, temos um quarteto de RPGs muito recentes, sendo que apenas o Nier saiu no ocidente, e ainda Super Mario Galaxy 2. Será que a nostalgia ficará para escanteio desta vez?

[via Twitter]

Press Start 2011 confirmado; Nier e Xenoblade no programa


Por Alexei Barros

Normalmente a primeira coisa que faço quando é revelada uma nova edição do Press Start é comparar com o Orchestral Game Concert. Só para comentar que, com a corroboração do Press Start 2011, a atual série japonesa estará na ativa pelo sexto ano consecutivo, superando o OGC.

Dito isso, ainda não há data, tampouco orquestra e local definidos. A confirmação se deu primeiro no Twitter do Masahiro Sakurai, que pediu sugestões de repertório para os fãs no microblog com a hashtag #press_start. O site da Famitsu também fez o mesmo, solicitando que as pessoas escolham três músicas, preenchendo um breve formulário com os campos nome do jogo, nome da faixa e o motivo, de 10 de março até 30 de abril.

Ano passado, havia acontecido uma iniciativa similar, mas as seleções eram restritas aos segmentos executados anteriormente, uma vez que o Press Start 2010 comemorou os cinco anos de apresentações com um set list repleto de reprises, todas mais caprichadas em relação às performances originais, é bom que se diga.

Espero que agora voltem, em maior quantidade, os números de jogos novos. Um ótimo indício é que no mesmo tuíte, Sakurai adiantou dois jogos muito requisitados pelos japoneses: Nier (PlayStation 3 e Xbox 360) e Xenoblade (Wii), que saíram em abril e junho de 2010, respectivamente, considerando os lançamentos nipônicos. Embora não tenha dado o destaque que as trilhas merecem nos posts, fiquei animado, porque são títulos que não apareceriam em outros concertos pelo mundo. Vou aguardar a revelação oficial no site do Press Start para comentá-las, talvez já com as escolhas definidas. Músicas como a fabulosa “Grandma” (Nier) e “Main Theme” (Xenoblade) têm potencial de sobra para serem tocadas ao vivo.

Para não perder o costume, grato ao Fabão pela confirmação das informações.

[via Nonsense Zone, Famitsu]


RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr bannerlateral_consolesonoro bannerlateral_zeebobrasil bannerlateral_snk-neofighters brawlalliance_banner_copy
hadoukeninenglish hadoukenenespanol hadoukenenfrancais hadoukeninitaliano hadoukenindeutscher hadoukenjapones

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.536 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: