Archive for the 'Exclusividade Hadouken' Category

Artwork do dia: Yoshitaka Amano e a minha inesperada caricatura

Por Claudio Prandoni

Lá no já longínquo ano de 2007 eu comentei por aqui o quanto curtia a arte do japonês Yoshitaka Amano, famoso por estas bandas por boa parte da arte da série Final Fantasy.

Então, o jovem Prandoninho sequer sonhava em encontrar com o figura ao vivo. Mas veja só você: isso rolou recentemente, durante a edição 2012 do Gameworld, feira de games que desde 2010 rola no primeiro semestre do ano em São Paulo.

Por conta do trabalho, tive chance de assistir a duas palestras de Amano e até entrevistar o cara – depois de acompanhar filas imensas de fãs apaixonados terem seu momento de brilhar muito ao conhecer o cara, tirando fotos e autografando livros e mangás.

Maroto que só, fiz a entrevista (que você pode ver na íntegra aqui) e aproveitei para pegar um autógrafo do Amano, que fez esse belo desenho aí abaixo – que me lembra muito a Celes, do Final Fantasy VI. Ou seria a Terra, a personagem favorita de Amano-sensei?

Por um lampejo de sorte, calhou de eu terminar a entrevista bem na hora em que o fotógrafo que estava trabalhando comigo na feira chegou para fazer fotos de Amano.

Daí confirmei aquela história de que japoneses gostam muito de fotos: o artista ficou tão, mas tão feliz com o resultado que logo se colocou a fazer uma caricatura muito legal do fotógrafo!

No embalo, emendou um desenho de outro rapaz que estava na sala e daí… meio que eu era o próximo da fila. Amano se colocou ao meu lado e começou a fazer uma caricatura minha, só que de perfil, de ladinho. O resultado é esse aí abaixo!

Como um colega figuraça jornalista comentou na hora “ficou mais bonito do que o original!”. Eu, minha mãe e minha namorada discordamos, mas não dá pra negar que o trampo ficou bacana. O estilo de Amano é bem único e confesso que fiquei bem feliz, honrado e emocionado mesmo, de ter conseguido tal honra!

Na ocasião, rolou uma exposição de obras do artista no evento. Felizmente, a mostra volta ao Brasil neste mês de maio, com mais itens e até aquarelas pintadas por Amano durante sua visita ao nosso país. Confere lá!

Álbum com as músicas de Sonic Generations sai em janeiro de 2012; Jun Senoue diz que equilíbrio foi a palavra-chave da trilha


Por Alexei Barros

Pelo menos no aniversário de 20 anos, o Sonic se livrou da recente maldição dos jogos capengas em 3D com Sonic Generations, embora o Sonic Colors já tenha sido bastante elogiado no ano passado. As trilhas sonoras da série sempre chamam a atenção, mesmo quando os jogos não são lá grande coisa, mas, desta vez, há um motivo especial: o retorno das geniais composições de Masato Nakamura para Sonic 1 e 2 sob nova roupagem. Aliás, a primeira vez que ele permitiu que suas músicas fossem arranjadas.

Nessa semana, o comparsa Claudio Prandoni entrevistou por e-mail o produtor do Sonic Generations, Takashi Iizuka, para o UOL Jogos, e ganhou de brinde uma resposta sobre a trilha do lendário Jun Senoue, diretor de som do jogo. No UOL Jogos a declaração não foi usada na íntegra, então confira o depoimento inteiro do mestre da guitarra da banda Crush 40:

“Sonic Generations oferece dois tipos diferentes de jogabilidade para fases de jogos antigos: moderno e clássico. Tentamos arranjar as músicas de maneira a combinar bastante com estes estilos distintos. Quando a fase original era em 2D, o arranjo clássico dá uma sensação mais ‘nostálgica’, enquanto o moderno foca em trazer ‘surpresa e novidade’.

Em contraste, quando a fase original era em 3D, o arranjo moderno usa a faixa original como base, enquanto o clássico pega a essência e leva a música por caminhos diferentes.

Sonic Generations foi a primeira vez que Masato Nakamura, compositor original das músicas dos dois primeiros Sonic, nos permitiu arranjar as composições. Tomamos muito cuidado ao criar estas novas versões já que muitos fãs são bem apegados às faixas originais. Equilíbrio foi a palavra-chave, mantendo as partes importantes e mudando o que achávamos apropriado.

O estilo e intensidade de arranjo variam entre as canções, mas Chemical Plant e City Escape são bons exemplos em termos de manter ritmos memoráveis, mas também trazer mudanças ousadas. Já o arranjo moderno de faixas como Green Hill e Sky Sanctuary, cujas trilhas originais não eram muito rápidas, possui uma função especial que sincroniza a batida de acordo com a velocidade do Sonic, acelerando ou diminuindo de acordo com a velocidade do herói.”

Além dos dois, notei pelos créditos do jogo que muitos outros nomes se envolveram, como Naofumi Hataya, Kenichi Tokoi, Tomoya Ohtani, Richard Jacques e Yasufumi Fukuda. Não quero me aprofundar mais nos comentários na esperança de que falarei melhor quando sair a trilha original de título Sonic Generations Original Soundtrack: Blue Blur. Número de catálogo WWCE-31261~3, três CDs para o dia 11 de janeiro de 2012 por 4200 ienes (97 reais sem taxas adicionais). As músicas já podem ser ouvidas no YouTube – há bastante tempo foram ripadas inclusive. Só adianto que, apesar de bons momentos, não me empolguei tanto quanto a “Angel Island Zone” na versão do Jun Senoue para o Super Smash Bros. Brawl.

[via UOL jogos]

Hadoukast #09: Sobre os jogos que jogamos nos últimos dois anos

Por Claudio Prandoni

E lá se foram dois anos. Ou quase isso.

No piscar de olhos dos bits & bytes das interwebz, um disco voador biênio já se foi desde que os Toperas hadoukeiros se reuniram para a oitava edição do podcast. Governos ruíram, consoles foram lançados, madeixas encaracoladas do Gustavo Hitz caíram, mas cá está o Hadoukast de volta, em todo seu brilho e esplendor – ou se pá algo que lembra isso.

Novamente sem o Sira – entregue a devaneios californianos, vivendo a vida de cinema com o destino de ser star – Hitz, Prandas e Maestro Alexei soltam o verbo, dão nome aos bois e discorrem sobre infinitas baboseiras: mais especificamente, neste podcast tentamos estabelecer como tema os três jogos mais legais que cada um jogou nos últimos dois anos. A gente quase consegue manter o foco, pode conferir.

A fim de tornar prática a parada, a trilha sonora resgata o sempre eterno e conveniente disco Gyakuten Saiban Jazz Album ~Gyakuten Saiban Meets Jazz Soul~, com músicas da favoritona série Ace Attorney arranjadas em estilo jazz.

Ouça, comente, compartilhe e vibre conosco com a volta do Hadoukast. Será que o próximo também demora dois anos pra sair?

Hadoukast #09: Sobre os jogos que jogamos nos últimos dois anos

Escalpe Hadouken 2010

Por Alexei Barros

“Isso é tudo. Aguarde mais alguns 300 e tantos dias para o Escalpe Hadouken 2010.” Enfim, chegou. Aos trancos e barrancos o blog conquistou o tetracampeonato, e não há como entrar em 2011 sem escancarar o desleixo de alguns editores-executivos da Hadouken Corporation e eleger os comentários que enobrecem este nefasto espaço virtual. Para isso serve o mais aguardado post do ano. Mentira.

Se 2009 já foi um ano recheado de game music, 2010 não mudou muita coisa. Há quem diga que “esse de games virou blog de música”. Eu bem que tentei alcançar o líder da produtividade, Claudio Prandoni, mas fica para o ano que vem. Prandoni, aliás, foi o principal responsável, juntamente com colegas de blogs parceiros, a arquitetar a mentira que rendeu o dia mais visitado na história do mundo do Hadouken: 5998 visitas.

Do outro lado, uma disputa no tapa. Gustavo Hitzschky e André Sirangelo tiveram um empate técnico para ver quem escrevia menos: cada um publicou um inigualável post durante todo o ano! Sira sairia em vantagem como ainda teve o trabalho de fazer uma montagem e o artigo do Hitzman era apenas um vídeo de um vesgo que defendia a sua causa contra o Resident Evil 4. O Gustavo não deixou barato e permitiu que fosse mostrado no escalpe uma análise exclusiva de Red Dead Redemption. Se me permite:

Review: Red Dead Redemption

Por Gustavo Hitzschky

É muito difícil falar sobre um jogo tão complexo e cheio de detalhes como Red Dead Redemption quando nos dão um espaço assim diminuto. Mas, já que fui premiado com tal incumbência, vou aqui resumir aquilo que poderia falar em três, quatro páginas, e dizer que os fãs da Rockstar não vão ficar decepcionados com mais essa joia que a produtora nos fornece.

Agora sim!

Ranking, comparando com os números do ano passado.

- Total de posts: 1972 (1618) – com este
- Claudio Prandoni: 954 (878)
- Alexei Barros: 911 (635)
- Gustavo Hitzschky:  68 (67)
- André Sirangelo: 39 (38)

Depois do Hadouken, a maior relação de comentários dos escalpes já vista durante todos os tempos, durante todos os seus brinquedos. Fica o aviso: tire as crianças da sala!

Continue lendo ‘Escalpe Hadouken 2010′

Leitor artista presenteia Hadouken com ilustrações festivas

Por Claudio Prandoni

Nosso cartão de Natal em 2009 indica: o blog completou três anos recentemente. Além daquele post especial e de um selinho temporário no cabeçalho, fomos presenteados também com um tsunami de artes fantásticas feitas pelo nosso leitor artista Sérgio Borges.

De fato, eu havia recrutado o Sergião para elaborar um banner de Natal para o blog. Confusões de comunicação impediram a ideia de entrar em prática em glória e esplendor, mas sem problema: o projeto virou presente de aniversário para o blog.

Por isso mesmo que agora você vê esse cabeçalho bonitão aí acima, a arte lindona da abertura do post e esse monte de imagens abaixo na nossa galeria.

Agradecemos de coração o carinho do Sergião e todos os outros leitores que nos acompanham e deixaram congratulações. Prometo que os Toperas continuarão com game music, aventuras do barulho, game music e muita rabugentice por bastante tempo.

Além de cartões de Natal e aniversário, há também wallpapers em quatro tamanhos distintos, na ordem:
- 1024×768
- 1280×1024
- 1600×1200
- 1650×1050

Escalpe Hadouken 2009


Por Alexei Barros

O post deveria ter sido publicado no dia 31, mas alguns problemas técnicos impediram que o escalpe do ano passado viesse a público na data apropriada (o Word travou e perdi mais da metade do que tinha escrito). Seja como for, 2009 definitivamente marcou a consolidação da Hadouken Corporation como uma multinacional que atua nos mais variados setores do entretenimento e além (a meta já para o primeiro semestre de 2010 é atingir as áreas médica, biológica e financeira), e isso não aconteceu por acaso.

É resultado do esforço coletivo de quatro editores executivos que entendem do assunto e se revezam na tarefa honrosa de trazer para você, caro leitor, o que de melhor rola no mundo dos games de maneira descontraída e irreverente, sem o linguajar técnico e chato dos grandes sites, com reviews imparciais, únicos e revolucionários – se não percebeu essa descrição padrão repleta de piadas internas, por favor se dê conta de que estou sendo alucinadamente irônico.

Topeirices à parte, é chegada a hora das estatísticas de 2009. Foram 722 posts publicados sobre game music, comerciais, game music, sapatos, game music, artes conceituais, game music e, para variar um pouco, game music. Foi o bastante para que ficassem de saco cheio de tanta música de joguinho, de tantas caixas, de tantas performances amadoras, de tantos gritos, de tantas bruxas e principalmente de tantos concertos.

Ano após ano Claudio Prandoni é condecorado pela produtividade, porém como atualmente está dividido entre os cargos de apresentador, repórter e correspondente internacional de outras empresas não tão representativas quanto a Hadouken Corp. no cenário mundial, ele deixou que os outros topeiras diminuíssem a diferença do total de posts. Ainda assim, ninguém foi capaz de alcançá-lo. Confira, comparando com os números de 2008 registrados em parênteses. Menção especial ao incansável André Sirangelo, que produziu incontáveis três posts durante todo o ano!

- Total de posts: 1618 (893) (não contabiliza os posts já publicados em 2010)

- Claudio Prandoni: 878 (524)
- Alexei Barros: 635 (284)
- Gustavo Hitzschky: 67 (50)
- André Sirangelo: 38 (35)

Mas o escalpe não seria o escalpe sem a seleção dos melhores comentários de 2009. Se porventura o seu foi selecionado peço que não se ofenda – ninguém mandou escrever tão mal. É claro que os comentaristas assíduos seriam incapazes de cometer tais atrocidades, apesar de ler as grandes besteiras nos posts e não ser contaminados por tantas baboseiras. Como os dados foram coletados desde o começo do ano, a lista acabou ficando um pouco extensa. Delicie-se após o Hadouken.

Continue lendo ‘Escalpe Hadouken 2009′

Hadouken Friday II’ Hyper Drawing: leitor anima outra sexta-feira com mais wallpapers do Hadouken

papel de parede juri hadouken by vinicius de moura para site 1280P1024

Por Claudio Prandoni

Veja só você que ligeireza do leitor-artista Vinicius de Moura. Depois da primeira leva de wallpapers de personagens da série Street Fighter à moda IV, o rapaz agora nos brinda com uma segunda fornada que já conta até com a sul coreana Juri.

De guarnição, as moças Crimson Viper, Chun-Li e Ken como suposto rei da mulherada – tudo em resolução 1280×1024.

Hadouken Friday: leitor artista anima a sexta-feira com wallpapers do Hadouken

papel_de_parede_hadouken_by_vinicius_de_moura_para_o_site

Por Claudio Prandoni

Mais uma leva de prestígio e talento de nossos estimados leitores. Quem mostra habilidade no traço novamente é o leitor Vinicius de Moura, que montou três wallpapers cá para o blog, apresentando Blanka, Ryu e General Uile Guile – em design Street Fighter IV – no traço dele.

Todos estão em resolução 1280×1024 e você pode conferir e/ou baixar pela galeria logo abaixo.

Ah, e não deixe de ver mais da arte do Vinicius na página oficial dele na galeria virtual deviantART.

Hadoukast Retro Vintage Audio Works Collection Pack #02

hadoukastcollection02

Por Claudio Prandoni

Dando continuidade ao projeto de revival dos melhores contestáveis trabalhos em áudio dos Toperas, uma nova trinca de podcasts do passado, revitalizados pela magia do SoundCloud para tornar mais fácil apreciar.

Espero que gostem!

Hadoukast #04: Sobre jogos overrated

Hadoukast #05: Sobre os melhores de 2008

Hadoukast #06: Sobre designers ‘underrated’

Daqui um mês chega mais um pacote gratuito de DLC.

Rock Tour 2009: a apresentação do Los Toperas

Por Gustavo Hitzschky

De fato, como se imaginava, foi antológico. Para quem não sabe, o festival Woodstock completou 40 anos em 2009, e me arrisco a dizer que, daqui a décadas, as pessoas ainda se lembrarão com nostalgia também do Rock Tour 2009.

O encontro, como já é sabido, aconteceu no Morumbi Shopping no dia 22 de agosto. A data marcou a primeira aparição pública da banda Los Toperas desde as desventuras em série do quarteto, como você acompanhou nos posts reveladores de Claudio Prandoni. Após alguns ensaios e muita groselha, enfim aconteceu a reestreia ao lado das bandas parceiras dos camaradas do Continue e do GoLuck.

Depois do fatídico incidente do pause na música do Prandoni (coreografia ensaiada à exaustão e cujos efeitos foram exatamente aqueles os quais havíamos calculado – leia-se, invasão de palco e assédio quase insuportável por parte dos espectadores), o Los Toperas encerrou a participação com a música Ramblin’ Man, do Allman Brother Band. E foi justamente essa a escolhida pelo quarteto mais o empresário Alexei Barros para ir à votação no YouTube.

Agora é com você, amigo leitor. Ajude os enterninhados Los Toperas a sair do ostracismo e se deparar uma vez mais com a glória. Nem que seja a derradeira, aquela que vem a coroar uma carreira banhada por escândalos, farsas, brigas e piparotes. Para tanto, basta avaliar o vídeo, concedendo a ele o número de estrelas que considerar justo (infelizmente, cinco é o máximo, mas aceitamos de bom grado).

Um agradecimento mais do que especial e merecido à amiga Naty Yoshie, que não pensou duas vezes ao ser convidada para participar do nosso show. Quem esteve lá sabe ao que me refiro. Do contrário, assistam ao vídeo.

Antes do vídeo, aqui vai a ordem das canções entoadas pelos Toperas e os respectivos músicos.

- “American Woman” (The Guess Who). Vocal: Gustavo Hitzschky; guitarra: Rodrigo Lara; baixo: André Sirangelo; bateria: Claudio Prandoni

- “Livin’ on a Prayer” (Jon Bon Jovi). Vocal: Claudio Prandoni; gui-tar…… ra: Gustav… o Hitz… schky; baixo: André Sirangelo; bateria: Rodrigo Lara

- “Ramblin’ Man” (The Allman Brothers Band). Vocal: Gustavo Hitzchky; guitarra: Rodrigo Lara; baixo: André Sirangelo; bateria: Claudio Prandoni

Toperas2


RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr bannerlateral_consolesonoro bannerlateral_zeebobrasil bannerlateral_snk-neofighters brawlalliance_banner_copy
hadoukeninenglish hadoukenenespanol hadoukenenfrancais hadoukeninitaliano hadoukenindeutscher hadoukenjapones

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.534 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: