Arquivo de junho \29\UTC 2010

“Uncharted 2 Medley” – Uncharted 2: Among Thieves (VGL 2010 em Los Angeles)

Por Alexei Barros

Para cumprir tabela: ao lado de Afrika, Uncharted 2: Among Thieves foi o segmento novo apresentado no Video Games Live em Los Angeles durante a E3. Sem ouvir a trilha de ponta a ponta mencionei a bela “Reunion” no post de revelação céptico de que a faixa pudesse ser escolhida.

Contrariando as minhas expectativas, foi. E não é que o número é bem decente? É enxuto, com pouco mais de 3 minutos e meio, compilando a supracitada e a “Nate’s Theme 2.0”. A grande sacada foi aproveitar uma pausa da “Reunion” para realizar a transição, que ficou natural em 1:48. Tudo seria ótimo se a performance fosse honesta. Não parece. Posso estar cometendo uma grande injustiça, mas o erhu da “Reunion” (até por isso o tema tem um quê de Shenmue) é playback. Porque se houvesse mesmo, seria dado destaque para o solista. O destaque vai para a regência do próprio compositor Greg Edmonson, que, imagino, ficaria mais satisfeito se a performance fosse toda ao vivo, com todos os instrumentos que ele planejou sendo reproduzidos na hora.

- “Uncharted 2 Medley”
“Reunion” ~ “Nate’s Theme 2.0”

Ni no Kuni: bonito de ver e ouvir

Por Alexei Barros

A última vez em que falei de Ni no Kuni era mais uma desculpa para comentar sobre a genialidade de Joe Hisaishi nas trilhas e nos concertos do Studio Ghibli com orquestras colossais. Mas, enfim, há uma data de lançamento do RPG do Nintendo DS, que recebeu o subtítulo Shikkoku no Madoushi, no Japão: 9 de dezembro de 2010. Não custa nada frisar que o jogo foi anunciado na TGS 2008. A demora é justificada por gráficos estupendos e trilha sonora totalmente orquestrada, o que resultou em um cartucho de 4GB.

A boa notícia veio acompanhada de outra melhor ainda porque Ni no Kuni também receberá uma versão para PlayStation 3, batizada de Shiroki Seihai no Joou, a ser lançada em 2011. Então, você se lembra do cel-shading fabuloso do Dragon Quest VIII? A Level 5 fez de novo, mas com o estilo visual do Studio Ghibli. Fico na dúvida se não bateu o arrependimento da Square Enix por anunciar o Dragon Quest X para Wii – sei lá se o console da Nintendo seria capaz de proporcionais tais maravilhas. Ambas as novidades foram comunicadas em recente evento exclusivo do jogo – quem precisa de E3?

Falta anunciarem o álbum da trilha sonora.

Confira os vídeos mais recentes, sem deixar de prestar atenção nas músicas sinfônicas:

Ni no Kuni: Shikkoku no Madoushi (DS)

Ni no Kuni: Shiroki Seihai no Joou (PS3)

Pelo Twitter as notícias foram compartilhadas pelo Fabão.

[via Andria Sang, Game Watch, Tiny Cartridge]

“Varestain Castle” – Ys III: Wanderers from Ys (jdk Band Summer Festival 2009)

Por Alexei Barros

Além de usufruir a inspiração das trilhas recentes da Falcom, como a de Ys Seven, a atual jdk Band ainda conta com o privilégio de ter à disposição todo o material auditivo produzido em mais de 20 anos, tantas vezes arranjado na imensa discografia de Ys, Sorcerian, Brandish, The Legend of Heroes e cia.

Com isso, fica escancarada a superioridade da jdk Band para a antiga J.D.K. Band nas versões de temas conhecidos, como é o caso da “Varestain Castle” (Ys III), que já no álbum Falcom J.D.K. Band 1 foi arranjada simplesmente como “Varestain”. Música de autoria da Mieko Ishikawa, que havia atuado com o Yuzo Koshiro nos episódios anteriores. Isso se deve principalmente pela bateria, aqui não sintetizada, e pelo violino, embora não apareça tanto neste caso. Se Masaru Teramae novamente destruiu tudo na guitarra, agora a simpática tecladista Maiko Kawahara ao fundo também se destaca.

“Your Affection ~ Heartbeat, Heartbreak ~ Signs Of Love ~ Your Affection” (Persona 4) – Persona Music Live 2009

Por Alexei Barros

Não sei se por culpa da Copa do Mundo ou pela E3, é fato: o meu radar para os lançamentos de game music está em frangalhos. Até o momento não havia mencionado no blog, somente no Twitter, que o show Persona Music Live 2009, tal qual aconteceu com o Persona Music Live do ano retrasado, será lançado em DVD. Será não, foi. Porque quando lembrei do lançamento reparei que saiu dia 23 de junho.

E o melhor: há vídeos no YouTube. Não foram feitas grandes alterações em relação à formação da banda e mesmo do set list, visto que das 28 faixas (algumas tocadas continuamente) 9 são inéditas. Prova disso é este segmento seminovo, isso porque já existia no espetáculo anterior um medley do Persona 4 com as mesmas músicas, só que tocadas em ordem diferente: “Signs Of Love” (a canção gamística que mais se aproximaria do Jamiroquai), “Heartbeat, Heartbreak” e “Your Affection”, respectivamente. Como não publiquei antes, faço agora com a versão 2009. Minha impressão é de que a gravação está ainda mais apurada, com maior quantidade de detalhes dos instrumentistas. E a cantora Shihoko Hirata novamente dá um show de carisma.

“Your Affection” ~ “Heartbeat, Heartbreak” ~ “Signs Of Love” ~ “Your Affection”

Mantendo tradição: a coletânea de piano de Final Fantasy XIII

Por Alexei Barros

Em 1992 a Square Enix iniciou com a série Final Fantasy um costume que já era muito frequente nos lançamentos de game music, especialmente os RPGs, de publicar álbuns com arranjos para solo de piano. É o que também aconteceu com Dragon Quest, Ys, Arc the Lad, Tales of, Suikoden (com o suporte de outros instrumentos, é verdade) e, mais recentemente, Kingdom Hearts.

Poderia ser tranquilamente do primeiro, mas iniciou com FFIV e seguiu até o FFXI (em 2008, seis anos depois de o jogo sair no Japão) com diferentes arranjadores e intérpretes. E para o dia 21 de julho de 2010 a saga continua com Piano Collections Final Fantasy XIII. E o FFXII, você me pergunta? Foi ignorado como acontece com os concertos da série.

O álbum referente ao FFXIII é promissor não só porque a trilha original é fabulosa. O próprio Masashi Hamauzu, que tem bastante apreço pelo piano como se nota pelas composições (talvez o violino venha em segundo lugar) é o encarregado dos arranjos e a pianista Aki Kuroda da performance, repetindo a dupla da Piano Collections Final Fantasy X.

Ainda não foi divulgada a track list, mas é possível escutar no site oficial um sample que remete à “Sulyya Springs”.

“Innocent Primeval Breaker” – Ys Seven (jdk Band Summer Festival 2009)

Por Alexei Barros

Por negligência de minha parte mencionei poucas vezes por aqui a jdk Band, e quando destaquei foi para falar mal dos Black Mages. A antiga banda da Falcom J.D.K. Band renasceu com a nova grafia jdk Band e integrantes diferentes em 2007. O som também mudou, apesar das raízes no hard rock. A antiga possuía muitos instrumentos sintetizados (a bateria na maioria das vezes era simulada), e a atual apresenta uma sonoridade bem mais potente, com a fabulosa inserção do violino em meio às guitarras.

Um dos motivos pela escassez de posts era a quase inexistência de vídeos. Por um milagre, surgiram vários do YouTube. Em uma casa de shows extremamente apertada que sequer tem palco – não me pergunte como a pessoa da última fileira consegue ver direito –, a jdk Band comprova que é um dos principais nomes de hard rock em game music, ao lado das trilhas do Daisuke Ishiwatari, entre outras. Desculpe-me, Black Mages está em um pouco abaixo.

Destaco sobretudo as performances da violinista Mizuki Mizutani e do guitarrista Masaru Teramae, o de cabelos descoloridos, que é integrante da dupla Demotori, nome conhecido no meio doujin pelos arranjos da série shmup incrivelmente popular Touhou Project. A música é a “Innocent Primeval Breaker” do recente Ys Seven do PSP: guitarras nervosas e melodia sensacional.

Se me animar publico mais vídeos.

“Afrika” – Afrika (VGL 2010 em Los Angeles)

Por Alexei Barros

A trilha sonora de Afrika foi uma das maiores surpresas de game music dos últimos anos porque o jogo de safari sempre foi encarado com enfado na lista dos primeiros lançamentos do PlayStation 3. Se o título é bom ou não nem faço ideia, mas as músicas impressionam pela grandiosidade aliada às melodias marcantes.

Por isso mesmo, Afrika tem sido uma constante nos concertos mundo afora, desde os menos badalados, como o Video Game Soundtracks Golden State Pops Orchestra (“Savanna”) e o Video Game Orchestra ~Awakening~, até o popular A Night in Fantasia 2009 (“Afrika Symphonic Suite”). Ora suítes, ora peças únicas, todas as performances foram marcadas por uma coincidência (ou seria exigência?): a regência do compositor Wataru Hokoyama. E mais uma vez ele assumiu a batuta, desta vez no Video Games Live durante a E3 2010.

Ao menos o segmento é arroz com feijão: o tema-título “Afrika” e nada mais. Parece básico, mas em se tratando de VGL é muito, porque mesmo com números que tinham tudo para dar certo por serem já orquestrados (Shadow of the Colossus), acabaram deteriorados por decisões equivocadas e passagens pouco trabalhadas. Insinuarei novamente: difícil julgar por um vídeo de baixa qualidade do YouTube e em um ambiente tão escuro, porque está difícil de acreditar que esta diminuta orquestra tocou quase que com a mesma pompa dos 100 integrantes da Hollywood Studio Symphony da trilha original…


RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr bannerlateral_consolesonoro bannerlateral_zeebobrasil bannerlateral_snk-neofighters brawlalliance_banner_copy
hadoukeninenglish hadoukenenespanol hadoukenenfrancais hadoukeninitaliano hadoukenindeutscher hadoukenjapones

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.545 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: