Arquivo de dezembro \31\UTC 2009

Cartões de Ano Novo gamers 2010: Shigeru Miyamoto

Por Claudio Prandoni

Que melhor maneira de fechar o ano do que com as artes dos mestres? Depois de Alexei destilar, digo, desfiar mais comentários em relação ao VGL, vamos agora com outro gênio à altura: um cartão de Ano Novo desenhado por ninguém menos que o guru Shigeru Miyamoto.

Uma rara chance de ver os irmãos Mario no traço do próprio pai – e um oportunismo muito oportuno do game designer de promover o título mais recente para Wii.

Video Games Live: cadê os dez segmentos novos?


Por Alexei Barros

“Que venham mais verborragias ao VGL, cartões, sapatos e tudo o mais que faz o Hadouken ser o Hadouken”, disse Geraldo “Final Fantasy X” Figueras. Coincidência ou não as verborragias ao Video Games Live vem se tornando uma marca do blog como muito bem apontado pelo sectário hadoukeniano sulista. Você que é fã incondicional do show e aplaude qualquer coisa que eles façam, seja ao vivo ou playback, provavelmente vai achar que estou pegando no pé do VGL de maneira exagerada. De maneira alguma. Não contarei nenhuma mentira. Acompanhe meus passos.

Pensa que esqueci? O ano já está quase acabando, mas quero voltar para o dia 20 de janeiro de 2009, quando publiquei a nota “Halo 3: ODST confirmado no VGL; mais dez segmentos novos em 2009”, em referência à notícia publicada no site Music 4Games. Melhor ainda, regressemos para 18 de janeiro, quando havia uma nota do próprio site do VGL, não em um fórum ou em uma entrevista, repito, no site do VGL: “Além das mais de 50 franquias já representadas, o Video Games Live está atualmente trabalhando em dez segmentos novos para 2009, incluindo Mega Man, Chrono Cross/Chrono Trigger, Super Smash Bros., Monkey Island, Shadow of the Colossus, Earthworm Jim, Silent Hill e mais”.

A turnê 2009 do VGL acabou 19 de dezembro, com a apresentação em Taiwan. Até este show, eis as novidades e as respectivas cidades onde estrearam:

01 – Halo 3: ODST: Seattle, EUA
02 – Chrono Trigger & Cross Medley: Oakland, EUA
03 – Mega Man 2 & 3 Medley: Los Angeles, EUA
04 – “Snake Eater” (Meta Gear Solid 3: Snake Eater): Cingapura
05 – Shadow of the Colossus: Tóquio, Japão
06 – “Theme of Laura” (Silent Hill 2): Tóquio, Japão
07 – Assassin’s Creed II: Paris, França

Se conto bem são sete novidades. Você deve estar pensando: “‘Snake Eater’ e Assassin’s Creed II nem estavam nos planos e você só vê o lado ruim e fica reclamando de boca cheia”. O problema não é somente o cumprimento de 70% do prometido. Alguém viu o segmento de Super Smash Bros.? De Monkey Island? Earthworm Jim? Se as novidades fossem anunciadas em um fórum ou até numa entrevista já seria de reclamar, o problema é que foram publicadas em um release no site oficial, supostamente a fonte de informações mais confiável para vários países do mundo. Isso que nem entrei no mérito da qualidade dos arranjos (nenhum como do Sonic, por exemplo). E foi-se o tempo em que imaginava que uma dúzia (ou três dúzias) de músicas novas bastavam para melhorar o espetáculo.

Ah, não acabei ainda. Enquanto para alguns tudo é festa e maravilhoso relativo ao VGL (recorde absoluto de 56 apresentações em 2009, o primeiro show estrangeiro a fazer um concerto de game music no Japão, especial na TV, Blu-ray, DVD e o segundo CD), tem certas coisas que também não podem passar batidas, à moda das idas e vindas de cidades do site brasileiro.

O VGL era para fazer três espetáculos na Polônia que misteriosamente viraram apenas um. Pior ainda foi em Portugal. O show, que aconteceria dia 27 de novembro, foi cancelado e adiado para 2010 “por motivos de força maior”.  Mas para mim o pecado mais grave de todos foi dizer que o Yasunori Mitsuda fez o arranjo “exclusivo” do Chrono para apresentação no Japão em um release (divulgado em sites importantes, como o IGN) e meses depois silenciosamente substituí-lo pela Natsumi Kameoka. Até a fonte diferente denuncia a mudança. Ora, se você trabalhou de perto com o arranjador, como é possível confundir o nome (ainda mais sendo um proeminente) de maneira tão grotesca? Mentira das grossas.

As impertinências vglísticas (de 2009) acabam por aqui. Agradeço a sua compreensão.

Artwork do dia: Elena SF IV Groove

Por Claudio Prandoni

Com tanto fuzuê sobre quais serão os personagens adicionais restantes em Super Street Fighter IV, a atenção recai sobre os possíveis veteranos de Street Fighter III. Ibuki acho que é cartada certa, tendo em vista as kunais que sorrateiramente aparecem em algumas imagens.

Mas e os demais? Gostaria de ver o Alex, talvez o Sean. Já o nosso amigo, leitor e artista Vinicius de Moura nos faz pensar como ficaria a lutadora africana de capoeira, a princesa Elena, no traço característico de Street Fighter IV.

Um “presente de ano novo”, como diz ele. Para apreciar mais do excelente trabalho do cara, visite a galeria digital dele no deviantART.

Gran Turismo Original Sound Collection: o show particular de Masanori Mine

Por Alexei Barros

Depois do Gran Turismo 2 devo reconhecer que me tornei um apreciador exclusivo das músicas da série, nem tanto dos jogos. Não vou dizer que sou fascinado por completo por jogos de corrida, mas eu gosto e joguei bastante os dois primeiros da série para PlayStation, e infelizmente não pude me dedicar ao GT3 e 4 no PS2 como mereciam. Mas sempre acompanhei as trilhas, afinal foram as responsáveis por conhecer o T-Square, e me tornar apreciador da banda.

Quando saiu a Gran Turismo Original Sound Collection, referente ao Gran Turismo de PSP, como de praxe, fiquei na expectativa pelas faixas do Andoh, mas a participação dele foi bem modesta. O tema da série foi dividido em dois: a “Moon Over The Castle (2009 Remix Version)”, que é praticamente idêntica à “Moon Over the Castle” do primeiro GT, e “Moon Over The Castle (Orchestra Version)”, que mais parece uma versão estendida da abertura erudita da “Moon Over The Castle ~Orchestral Version~” do GT4.

Esperava por Masahiro Andoh e acabei fascinado pelas músicas de Masanori Mine. Entre diversas faixas eletrônicas, com todo o respeito, chatas para caramba de outros músicos, as três composições dele sobressaem em um espetáculo guitarrístico. Consegui apurar poucas informações sobre este compositor de penteado extravagante. Aparentemente, suas colaborações em games se resumem aos álbuns da série Angelique, conforme o VGMdb me deixou descobrir. Atualmente, integra a banda Olive Sunday como guitarrista e vocalista, o que não deixa de ser curioso, uma vez que a trinca é totalmente instrumental.

São tão boas que merecem ser comentadas individualmente, ainda que de maneira breve. E espero que Mine de alguma forma também participe da trilha de Gran Turismo 5.

- “over the horizon”

A introdução eletrônica me deu a impressão de que seria acometido por uma repetição exacerbada, quando a guitarra irrompe entoando uma melodia incrivelmente cativante. Bateria e baixo a seguem, mas sem tirar o brilho da guitarra, e os efeitos eletrônicos servem mais como complemento no fim das contas.

- “colorful monochrome”

A minha preferida das três. Logo de início a guitarra abre a faixa em acompanhamento do baixo e bateria, mas na sequência, mais uma vez, reproduz mais uma melodia criativa e empolgante. Ainda há um interlúdio eletrônico, e a guitarra solo retorna aos poucos até dominar a música por completo.

- “planet tension”

Nesta a abertura é feita pela bateria, mas, para variar, a guitarra é a estrela principal desta música que mais lembra o estilo fusion recorrente na série.  É a protagonista, porém o baixo elétrico também faz uma pequena intervenção antes do solo de guitarra.

Bon Jovi é um Crystal Bearer… ou quase isso

Por Claudio Prandoni

Só para registrar, ontem saiu em território ocidental o demoradíssimo Final Fantasy Crystal Chronicles: The Crystal Bearers, exclusivo para Wii.

Além de parecer um jogo de ação bem diferente e interessante, ele tem uma peculiar peculiaridade: os comerciais no Japão contam com a música “We Weren’t Born to Follow”, do Bon Jovi, como trilha sonora. Mais especificamente, a faixa é uma das principais do novo disco do grupo, o apenas mediano The Circle.

“E3 2009 Trailer Theme” – Assassin’s Creed II (VGL 2009 em Paris)

Por Alexei Barros

Como fiz um post para cada novidade do Video Games Live em 2009, fiquei devendo a respectiva nota sobre o segmento de Assassin’s Creed II que debutou no show em Paris, ocorrido no dia 21 de novembro.

A exemplo do que comentei no texto sobre a revelação, a adição lembra mais 2007 e 2008, quando o foco era os jogos ocidentais novos, nem sempre tão atraentes quanto as saborosas velharias japonesas. Contudo, a qualidade dos arranjos se deteriorou de lá para cá, justamente nos segmentos que poderiam apresentar um resultado mais interessante quando interpretado por uma orquestra. Bom, isso você está careca de saber.

Ao ver as gravações de Assassin’s Creed II bate uma sensação de volta no tempo, porque não ouço gritos histéricos durante a performance, tampouco vejo um showman fazendo estripulias pelo palco. Mas permanece o ambiente de sala de cinema, com a casa de espetáculos escura, e música de filme sonorizando o trailer da E3 2009. Estranho, aliás, tocarem o tema do trailer de um jogo que já está disponível. Isso costumava acontecer com games ainda não lançados, como foi com Halo 3, Halo 3: ODST e StarCraft II. Confesso que não consegui descobrir se esta faixa está no álbum da trilha original, por isso o título que dei acima não é oficial. Se você souber não hesite em gritar nos comentários.

Não sei se músicas de ambiente como essas que o Jesper Kyd fez para o jogo funcionam no contexto de um concerto. Mesmo para quem jogou e terminou (o que, para variar, não é o meu caso) às vezes é difícil de reconhecer. Para mim que não está habituado, a peça soou um pouco insípida pela falta de uma melodia mais viva. Solo vocal masculino, coral forte e percussão acentuados não foram o suficientes para me cativar.

Distant Worlds 2009 em Chicago: comentários à distância


Por Alexei Barros

O dia 12 de dezembro marcou o fim das apresentações em 2009 da turnê Distant Worlds: music from Final Fantasy, produzida pelo maestro Arnie Roth e pelo compositor Nobuo Uematsu. Uma pletora de novidades foi reservada para o concerto realizado em Chicago, com performance da Chicagoland Pops Orchestra e Elmhurst College Concert Choir no Rosemont Theatre, tanto que ainda farei posts específicos para cada uma – felizmente, há vídeos de todas elas.

Antes de comentar o espetáculo em si, vale ressaltar uma informação preconizada em uma entrevista de Roth ao SEMO que ainda não comentei por aqui. Em janeiro, a Royal Stockholm Philharmonic Orchestra, uma orquestra de alto gabarito como se pôde notar pelo Sinfonia Drammatica e pelos PLAY! realizados na Suécia, gravará o novo CD Distant Worlds II: more music from Final Fantasy, a ser lançado em junho de 2010, sem data específica. Imagino que já com as novidades recém-estreadas. No mesmo mês, no dia 12 de junho, acontecerá o debute dessa nova fase da turnê em Estocolmo com muitas músicas que ainda não foram executadas na Europa.

Voltando a Chicago, entre diversos segmentos conhecidos, “Advent One-Winged Angel” foi exageradamente tocada duas vezes seguidas no bis na companhia da banda formada especialmente para a ocasião, os Chicago Mages. Uma curiosidade: o próprio Arnie Roth pediu para que o público acompanhasse a orquestra e coral entoando os versos “Sephiroth!”. Esta interação com a plateia não cheira a… VGL?

Fora isso, foram enfatizadas as performances vocais de Susan Calloway – como Uematsu tem apreciado sobremaneira a sua voz, há fãs que acreditam que ela seja a escolhida para a canção do Final Fantasy XIV.  Todas os temas cantados da série foram executadas na apresentação, quase como no Voices: music from Final Fantasy, com exceção de “Eyes on Me” (FFVIII), “real Emotion (FFX-2 Mix)”, “1000 no Kotoba (FFX-2 Mix)” (FFX-2) e – atenção para a ironia“My Hands” (FFXIII). Dentre as canções, a que sobressaiu foi a performance da “Suteki Da Ne” (FFX), porque foi interpretada em inglês – talvez a faixa foi traduzida e mostrada assim pela primeira vez tendo em vista a quantidade colossal de pessoas que se ofendeu pelo fato de a versão do jogo ser em japonês.

Como havia mencionado em posts anteriores, a “J-E-N-O-V-A” (FFVII) e “Dancing Mad” debutaram na turnê, bem como o segmento “Twilight Over Thanalan ~ Behind Bloody Borders” (FFXIV). Comentarei em mais detalhes nos respectivos posts, portanto seja paciente.

Enquanto não publico os vídeos aqui, recomendo fortemente a entrevista que o Don Kotowski fez com o Nobuo Uematsu para o SEMO em Chicago. Em vez de perder tempo falando do bigode ou de quantas cervejas bebe como já vi acontecer em outros sites, o bate-papo enfoca os concertos, com muitas perguntas que sempre gostaria de fazer relacionadas ao Final Fantasy Symphonic Suite, Orchestral Game Concert e Press Start. O Symphonic Fantasies não poderia deixar de ser mencionado, e Uematsu-san disse algo que me deixou relativamente empolgado: “Entretanto, no futuro definitivamente gostaria de ouvir uma abordagem mais experimental das músicas de Final Fantasy, similar ao arranjo de Secret of Mana no concerto. Também gostaria de ouvir mais temas antigos da série Final Fantasy”. É exatamente isso o que queria.

O set list do Distant Worlds em Chicago com os tradicionais links das versões originais. De duas tive que pegar de outros concertos porque não estão dispostas assim nas OSTs, e do FFXIV a trilha nem saiu, evidentemente.

Ato I

01 – “Prelude” (Final Fantasy)
02 – “Liberi Fatali” (Final Fantasy VIII)
03 – “Victory Fanfare” (Final Fantasy)
04 – “At Zanarkand” (Final Fantasy X)
05 – “Don’t Be Afraid” (Final Fantasy VIII)
06 – “Ronfaure” (Final Fantasy XI)
07 – “Memoro de la Stono ~ Distant Worlds” (Final Fantasy XI)
08 – “Love Grows” (Final Fantasy VIIII)
09 – “Swing de Chocobo” (Final Fantasy)
10 – “The Place I’ll Return to Someday ~ Melodies of Life” (Final Fantasy IX)
11 – “Fisherman’s Horizon” (Final Fantasy IX)
12 – “J-E-N-O-V-A” (Final Fantasy VII)

Ato II

13 – “Opening ~ Bombing Mission” (Final Fantasy VII)
14 – “FFVII Main Theme” (Final Fantasy VII)
15 – “Suteki Da Ne” (Final Fantasy X)
16 – “Aerith’s Theme” (Final Fantasy VII)
17 – “Dancing Mad” (Final Fantasy VI)
18 – “Kiss Me Good-Bye” (Final Fantasy XII)
19 – “Theme of Love” (Final Fantasy IV)
20 – “The Man with the Machine Gun” (Final Fantasy VIII)
21 – “Twilight Over Thanalan ~ Beneath Bloodied Banners” (Final Fantasy XIV)
22 – “Terra’s Theme” (Final Fantasy VI)

Bis

23 – “Advent One-Winged Angel” (Final Fantasy VII: Advent Children) (2x)
24 – “Victory Fanfare” (Final Fantasy)

[via GameMusic.net, imagens via Flickr]

A track list final da Piano Collections Kingdom Hearts / Field & Battle

Por Alexei Barros

Da última vez que falei da Piano Collections Kingdom Hearts / Field & Battle a lista completa de faixas do álbum que sai dia 13 de janeiro (logo menos praticamente) não havia sido anunciada. Demorei tanto tempo para escrever o post sobre a revelação da track list que até deu tempo de saírem os primeiros samples.

Basicamente serão medleys. As músicas de cada miscelânea não foram detalhadas (por isso não colocarei os links da originais como de costume), mas seguem uma mesma temática, de modo geral associada a um determinado mundo de Kingdom Hearts. Surpreendente é que já haverá faixas de Kingdom Hearts Birth by Sleep e Kingdom Hearts: 358/2 Days, que sequer tiveram as OSTs lançadas ainda. Se o tradutor do Google não falhou e se entendi bem a reportagem da Famitsu, o conteúdo correspondente está descrito logo abaixo do post. Ainda não se sabem os arranjadores (do volume anterior foram Sachiko Miyano e Natsumi Kameoka), tampouco os intérpretes, porém reconheci a Miwa Sato na foto acima e legenda confirma a informação. Ela, Takehiko Yamada e Hiroyuki “Chopin” Nakayama tocaram no primeiro álbum.

Amostras das faixas 2, 4, 5, 7 e 9 já podem ser apreciadas no site oficial.

01 “Scherzo Caprice on a Theme of Never Land” (Kingdom Hearts Birth by Sleep): temas de campo e batalha do mundo Neverland (Peter Pan)
02 “Sinister Sundown” (Kingdom Hearts: Chain of Memories e Kingdom Hearts II): temas de batalha de Twilight Town
03 “Wonderland’s Surprises” (Kingdom Hearts): temas de batalha do mundo Wonderland (Alice no País das Maravilhas)
04 “Lazy Afternoons” (Kingdom Hearts: Chain of Memories e Kingdom Hearts II): temas de campo de Twilight Town
05 “Night of Fate” (Kingdom Hearts): temas de batalha de Destiny Islands
06 “A Very Small Wish -Monstrous Monstro” (Kingdom Hearts): temas de campo e batalha do mundo Monstro (Pinóquio)
07 “Hollow Bastion” (Kingdom Hearts): temas de campo de Hollow Bastion
08 “Medley of Conflict” (Kingdom Hearts II Final Mix+): temas de batalha do membros da Organization XIII
09 “Musique pour la tristesse de Xion” (Kingdom Hearts: 358/2 Days): tema do personagem Xion

[via Famitsu]

O magnânimo box de 18 CDs de Castlevania

Por Alexei Barros

As caixas especiais de game music não passam despercebidas pelos atentos (ou desatentos ultimamente) radares hadoukenianos, e este não poderia definitivamente ser ignorado: Akumajo Dracula Best Music Collections BOX.

Agendado para o dia 24 de março de 2010, o box vampiresco não tem qualquer relação com um aniversário da série Castlevania (considerando comemorações de anos redondos) que despertou do caixão em 1986. Por isso, até soa meio aleatória a revelação do produto – coincidentemente, sai um mês depois do concerto amador Castlevania The Concert. De qualquer forma é o tipo de lançamento que deixam os inveterados colecionadores de game music atiçados. Custará 21.000 ienes, o que hoje equivaleria quase a 405 reais, sem impostos e taxas adicionais. O número de catálogo é GFCA-195~213. Por apenas dois discos a caixa não iguala o recorde do SaGa Series 20th Anniversary Original Soundtrack -PREMIUM BOX- com os escandalosos 20 CDs. Serão nada menos do que 18 discos, e o último trará oito arranjos inéditos da Michiru Yamane, que ainda será mostrada em uma entrevista em um DVD que acompanha o pacote.

Antes tenho de ressalvar o conteúdo porque não há exatamente tudo o que já foi lançado da franquia. Não há, entre outros, os álbuns arranjados: Perfect Selection Dracula, que concorre, para mim, ao posto de pior CD de game music de todos os tempos (tente ouvir a “Bloody Tears” sem devolver os panetones que você comeu hoje); o Perfect Selection Dracula ~New Classic~, com arranjos semiorquestrados (sintetizados com timbres de orquestra) que inspiraram os segmentos do PLAY! e VGL; e, principalmente, Perfect Selection Dracula Battle e Perfect Selection Dracula Battle II, dois dos melhores trabalhos de hard rock em game music (apesar da bateria sintetizada) em arranjos do baixista Naoto Shibata e performance da banda Naoto Shibata Project. Eric Ietsugu que o diga. Ainda senti a ausência do “Castlevania Medley” do Press Start 2007, o melhor arranjo orquestrado relacionado à série para mim. E, claro, também da “Wood Carving Partita” tocada pela Michiru Yamane no Fourth Symphonic Game Music Concert.

As trilhas originais da franquia estarão compiladas, não todas. Faltou só a do Castlevania: The Adventure ReBirth, que sairá no mesmo dia no disco Dracula Densetsu ReBirth & Contra ReBirth Original Soundtrack, e a Pachislot Akumajo Dracula Original Soundtrack, que  foi publicada em junho de 2009. A excelente Akumajo Dracula Judgment Original Soundtrack (não posso dizer o mesmo do jogo, entretanto), de janeiro de 2009, está inclusa no box.

As músicas do Vampire Killer (MSX2) e Castlevania: Legends (Game Boy) serão lançadas oficialmente pela primeira vez, assim como as faixas adicionais da versão do Castlevania: Symphony of the Night para Sega Saturn. Apesar do site da Konamistyle não dizer nada a respeito e se não estiver enganado, as trilhas do Castlevania: The Arcade e Akumajo Dracula: The Medal  nunca saíram antes. Bem que, de alguma forma, a caixa poderia incluir a trilha do cancelado Castlevania Resurrection (Dreamcast), que vagueia sem rumo pela internet em MP3.

Eu tentei detalhar os compositores, mas é praticamente impossível. Há músicos que sequer se sabe o primeiro nome (S. Terashima) ou nome verdadeiro (akiropito?), e há muitas informações desencontradas. Espero que o encarte esclareça a barafunda de dados, e traga os créditos de cada faixa, e não apenas “Konami Kukeiha Club” (nome do estúdio de som da produtora) para todas as trilhas antigas. A propósito, vou achar um tanto injusto se somente a Michiru Yamane aparecer no DVD. Ela é a compositora mais atrelada à série, mas não a única. Muitos nomes importantes já participaram, de Kinuyo Yamashita (Castlevania) a Hidenori Maezawa (Castlevania III: Dracula’s Curse), de Motoaki Furukawa (Castlevania 64) a Yuzo Koshiro (Castlevania: Portrait of Ruin).

Segue listado abaixo então o que cada disco trará, com os jogos e suas respectivas plataformas.

CD 01 – Castlevania (Disk System), Vampire Killer (MSX2), Castlevania II: Simon’s Quest (Disk System), Haunted Castle (Arcade), Castlevania: The Adventure (Game Boy)
CD 02 – Castlevania III: Dracula’s Curse (NES), Kid Dracula (NES), Castlevania II: Belmont’s Revenge (Game Boy)
CD 03 – Super Castlevania IV (SNES)
CD 04 – Akumajo Dracula (X68000), Castlevania: Rondo of Blood (PC-Engine)
CD 05 – Castlevania: Bloodlines (Mega Drive), Castlevania Legends (Game Boy)
CD 06 – Castlevania: Symphony of the Night (PlayStation, Sega Saturn)
CD 07 – Castlevania (Nintendo 64)
CD 08 – Castlevania: Circle of the Moon (Game Boy Advance)
Castlevania Chronicles (PlayStation)
CD 09 – Castlevania: Harmony of Dissonance (Game Boy Advance): Castlevania: Aria of Sorrow (Game Boy Advance)
CD 10 – Castlevania: Lament of Innocence (PlayStation 2)
CD 11 – Castlevania: Dawn of Sorrow (Nintendo DS)
CD 12 – Castlevania: Curse of Darkness (PlayStation 2)
CD 13 – Castlevania: Portrait of Ruin (Nintendo DS)
CD 14 – Castlevania: The Dracula X Chronicles (PSP)
CD 15 – Castlevania: Order of Ecclesia (Nintendo DS
CD 16 – Castlevania Judgment (Nintendo Wii)
CD 17 – Castlevania: The Arcade (Arcade), Akumajo Dracula The Medal (Arcade)
CD 18 – Michiru Yamane’s eight arranged tracks.

[via Konamistyle, VGMdb]

O primeiro sample de Sekaiju no MeiQ³


Por Alexei Barros

Não é só o Yasunori Mitsuda que está oferecendo presentes natalinos auditivos para os fãs. O Yuzo Koshiro resolveu fazer o mesmo com o recém-anunciado Sekaiju no MeiQ³ para DS, oferecendo o sample do tema de batalha do jogo, à moda do que aconteceu com as amostras homeopáticas do 7th Dragon – esse sim que estava curioso para jogar não anunciam no ocidente.

Se os meus ouvidos não me traíram, a música traz o característico timbre do chip de som do PC-8801 – as OSTs dos dois primeiros jogos da série Etrian Odyssey vinham com as faixas na qualidade do DS e na desse antigo computador da NEC Corporation que o Koshirão adora. Achei a composição alucinadamente empolgante. Permita-me um comentário que eu nunca fiz antes: já vislumbro a versão orquestrada.

O sample de cerca de 50 segundos pode ser escutado no site oficial do jogo, mas, mais uma vez, eu subi no Goear se assim você preferir:

- “Music 01″

[via Nobuooo]


RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr bannerlateral_consolesonoro bannerlateral_zeebobrasil bannerlateral_snk-neofighters brawlalliance_banner_copy
hadoukeninenglish hadoukenenespanol hadoukenenfrancais hadoukeninitaliano hadoukenindeutscher hadoukenjapones

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.534 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: