Symphonic Fantasies será dedicado à Square Enix


Por Alexei Barros

O concerto alemão Symphonic Fantasies foi anunciado dia 5 de novembro, mas era desconhecida a sua temática. Quando o SEMO disse que teria relação com a Square Enix, logo imaginei um tributo à produtora. Não deu outra. A récita enfocará a gigante dos RPGs, mais precisamente as séries Final Fantasy, Chrono, Kingdom Hearts e Mana / Seiken Densetsu. A data: 12 de setembro, em um sábado.

Basicamente, a equipe responsável é a mesma do aclamado Symphonic Shades, incluindo o produtor Thomas Boecker, que em setembro de 2008 viajou para o Japão e assegurou a realização do concerto com a Square Enix – aliás, também aproveitou a viagem para assistir ao Press Start ~Symphony of Games~ 2008. Sob a batuta de Arnie Roth, estarão a WDR Radio Orchestra, o WDR Radio Choir, o percussionista Rony Barrak e o pianista Benyamin Nuss. Todos os arranjos serão inéditos e ficarão aos cuidados de Jonne Valtonen, que terá seis meses para finalizar o trabalho.

Cologne Philharmonic HallO palco do imponente Cologne Philharmonic Hall comportará aproximadamente 120 profissionais executando mais de 70 minutos de música para cerca de 2000 pessoas. A presença de três compositores relacionados à Square Enix foi confirmada, mas a identidade deles ainda é mantida em sigilo. Meus palpites: Nobuo Uematsu, Yasunori Mitsuda e Yoko Shimomura. Não foi revelado o CD ou até mesmo o DVD, mas aumenta a possibilidade do lançamento da gravação pelo fato de todos os jogos serem da Square Enix.

O repertório ainda está em aberto, em fase de pesquisa e discussão, com consulta dos compositores originais. Conta muito também a preferência dos fãs e como as faixas funcionam no contexto de um concerto.  Além disso, a intenção é fazer com que não só jogadores gostem da performance, mas não-jogadores também se maravilhem com a alta qualidade das músicas. Em outras palavras, difundir game music para todos os tipos de público.

A riqueza auditiva das quatro séries selecionadas é transbordante. Seria possível fazer um concerto de umas três, quatro horas de duração. Se só de Final Fantasy há uma infinidade de apresentações exclusivas, o que dirá na companhia das outras três de peso. E, teoricamente, qualquer música dentre o quarteto de franquias poderá ser executada. Por isso, sonho com FFXII ou até mesmo FFXIII. Imagine então se tivesse a metade Enix, como Dragon Quest? Ou então a parte tri-Ace, como Star Ocean e Valkyrie Profile? Ou ainda Game Arts, com Grandia? Até gostaria de SaGa, mas sei que é obscura demais, e a qualidade dos jogos geralmente não condiz com as músicas.

Como será uma ocasião praticamente única, com arranjos 100% inéditos, afinal a maioria dos concertos se limita a reciclar versões prontas, não posso deixar de externar minhas principais fantasias sinfônicas – se falasse de todas, o post teria o dobro do tamanho – para o concerto depois do Hadouken. Privilegio as músicas antigas em detrimento das naturalmente orquestradas.

[via SEMO]

Final Fantasy

- “Clash on the Big Bridge (Final Fantasy V)

Final Fantasy VNo OGC2 nada menos do que quatro faixas foram orquestradas. Esqueceram logo da melhor do jogo, a meu ver, e uma das mais criativas, melódicas e geniais do Nobuo Uematsu. No FFXII inclusive há a “Clash on the Big Bridge ~FFXII Version~” arranjada pelo Hitoshi Sakimoto, só que eu tenho a impressão que ele não explorou todo o potencial da música. A harpa no início não combinou muito.

- “Ending Theme” (Final Fantasy VI)

Final Fantasy VIÉ pouco provável por conta da duração pornográfica: 21 minutos, o que ocuparia cerca de quatro ou cinco músicas do set list. Mas eu ainda sonho com a orquestração. Seria uma experiência transcendental viajar por todos os temas memoráveis dos personagens. A Famicom Band já nos deu um gostinho de como poderia ser com a magnificente “The Suite from Final Fantasy 6 Scene 1”.

Chrono

- “Black Omen” (Chrono Trigger)

Chrono Triggerdetalhei todas a oportunidades em que Chrono Trigger foi orquestrado, seja em concertos ou em álbum. É o suficiente? De jeito nenhum. E não compreendo como que “Black Omen” jamais tenha sido orquestrada. Só pela quantidade de vezes que você a escuta no jogo, por conta da dificuldade absurda na parte em que a música toca. Até compensava um pouco a irritação. Do início sombroso no piano até nos instantes em que fica mais agitada.

- “Fanfare”, “Robo’s Theme” e “Ayla’s Theme” (Chrono Trigger)

A “Frog’s Theme” é tão sensacional, mas tão que acaba nos fazendo esquecer que os temas dos outros personagens também são incríveis. Como o looping é relativamente curto, consigo imaginar os temas dos três aí em cima no formato de suíte. Ah, “Fanfare” também é a música da Lucca.

- “Dragon God” (Chrono Cross)

Chrono CrossO fezones que me lembrou da maravilha que é essa música, que acaba sendo esquecida pela fama de “Scars of Time” e “Radical Dreamers”. Os sussurros caóticos de uma voz feminina conferem o clima etéreo, e as cordas irrequietas passam tensão do combate. Se já é assim sintetizada na trilha, imagina com uma orquestra.

Mana

- “Danger” (Secret of Mana)

Secret of ManaMuito se comenta acerca da excelência da trilha sonora de Legend of Mana. Concordo. Porém, a trilha de Secret of Mana, composta pelo persistente Hiroki Kikuta, está em um patamar superior para mim. Somente “Angel’s Fear” foi tocada, e duas vezes: no OGC3 e no Fifth Symphonic Game Music Concert. Lamento que o tema de combate de chefe “Danger” nunca tenha sido lembrado. Variado e empolgante. Sombrio e animado. Parece até diversas músicas em uma.

- “Meridian Dance” (Secret of Mana)

O cativante tema de batalha final ficaria esplêndido totalmente orquestrado, principalmente depois do que os instrumentistas da Eminence mostraram no Passion, especialmente Hiroaki Yura no violino.

- “The Second Truth from the Left” (Secret of Mana)

Numa boa, que música mais espetacular o tema de encerramento. Sem spoilers, é até alegre demais para o fim triste do jogo. E se um dia for orquestrada, que tenha um baixo de verdade reproduzindo o baixo sintetizado, principalmente por conta no solo slap.

Kingdom Hearts

Kingdom HeartsCom os temas maravilhosos da Hikaru Utada, “Hikari -KINGDOM Orchestra Instrumental Version-“ (KH) e “Passion -KINGDOM Orchestra Instrumental Version-“ (KHII) – tenho leve preferência pelo segundo –, exaustivamente tocados mundo afora, além das suítes no PLAY! A Video Game Symphony e Press Start ~Symphony of Games~ 2007, para não falar das quatro orquestrações no drammatica -The Very Best of Yoko Shimomura- – minha preferida é “Twinkle Twinkle Holidays”, que podia acabar quando o contador marcasse um minuto dada a sua magnitude –, eu não sei mais o que pode ser explorado lembrando de cabeça.

Mais novidades do Symphonic Fantasies aqui no Hadouken assim que acontecerem.

About these ads

12 Responses to “Symphonic Fantasies será dedicado à Square Enix”


  1. 1 Fabão 17/01/2009 às 2:03 am

    Peço licença para aproveitar a oportunidade e fantasiar sinfonicamente com as músicas de uma de minhas séries favoritas, mas geralmente ignoradas, por não ter tradição musical e nem apelo popular: Front Mission. Seguem meus pedidos para o concerto:
    De Front Mission 1 (de Yoko Shimomura com Noriko Matsueda, mas prefiro bem mais as faixas da Shimomura, por isso todas as minhas escolhidas são dela): “Take the Offensive” (brilhantemente relido no drammatica), “Manifold Irons” (lembra muito as composições mais recentes de Yoko para Kingdom Hearts), “Destructive Logic” (com órgão de verdade, por favor).
    De Front Mission 4 (de Hidenori Iwasaki): medley perfeito composto por “Iron Tempest” (e seus metais), “Guiding Light” (passa para a suavidade, com puxada celta), “Credits” (termina com esta faixa eclética, com acordes de guitarra e um trompete magnífico).
    De Front Mission 5: “Keepers of Freedom” (mistura inusitada de eletrônica, especialidade de Kenichiro Fukui, com trompete), “Out of the Blue” (início à la Metal Gear Solid, com interessante intrusão de guitarra, por Hidenori Iwasaki), “Scars of the War” (faixa que dá subtítulo ao jogo e que simplesmente nasceu para este concerto, composta pelo convidado Norihito Sumitomo, o mesmo que arranjou três faixas de Professor Layton).

    De resto, apoio as escolhas do grão-maestro e acrescento: alguém precisa fazer jus aos jogos de Yasumi Matsuno em concertos! Final Fantasy Tactics, Vagrant Story e Final Fantasy XII em Symphonic Fantasies, please!
    E aproveitando que o concerto é da Square… ENIX também, uma faixa ou outra de Actraiser, SoulBlazer e Illusion of Gaia, para ficar só nos antigos, não faria mal a ninguém. Tá fantasiei demais. :P

  2. 2 Alexei Barros 17/01/2009 às 12:09 pm

    Fabão, seu fascinante manifesto a favor de Front Mission me fez confirmar algo que eu andei refletindo. Por mais que Orchestral Game Concert tenha sido vanguardista ao reunir em um concerto séries de várias empresas – incluindo Nintendo e Square Enix, que na época não tinham essa insuportável carranca de direitos autorais de hoje em dia –, há muitas lacunas considerando as produtoras abordadas na série, como SaGa e Front Mission. Bem verdade que o drammatica preencheu em parte a nódoa também incluindo a versão orquestrada da “Manifold Irons”.

    A maioria das faixas linkadas desconhecia, e gostei principalmente das com ênfase no trompete, como a “Credits”. A “Scars of War” é fabulosa, chega a ser mancada. Como você disse, a falta de apelo popular talvez também conte muito – notei que da série inteira, somente Front Mission 3 foi lançado na Europa. Por isso, apostaria de olhos fechados a presença de FM somente em um Press Start. Até fico na dúvida se aparecerá Seiken Densetsu 3 no Symphonic Fantasies por conta da exclusividade japonesa.

    Sobre o descaso com Yasumi Matsuno e por conseqüência o Hitoshi Sakimoto: FFXII por enquanto só a Eminence, Final Fantasy Tactics foi lembrada pela bem-intencionada orquestra de estudantes Universidade de Maryland e Vagrant Story… Bom, apesar de ser crítico ferrenho das músicas anêmicas de ambiente, não vou negar que o tema dos créditos “Staff Roll”, que é tocado por instrumentos reais, é fantástico, talvez melhor do que a trilha inteira.

    Já Actraiser, SoulBlazer e Illusion of Gaia… O que dizia sobre o OGC? Da Enix, tivemos, além de Dragon Quest, E.V.O.: Search for Eden, Paladin’s Quest, Itadaki Street 2, Jyutei Senki e Lennus II ~Sealed Believers~, mas as três que você citou passaram batidas. Aliás, como acho que Actraiser foi plenamente orquestrado no Symphonic suite from Actraiser, eu gostaria de ouvir algo que talvez, viajando muito, se aconteceria num concerto ou álbum de tributo ao Yuzo Koshiro: uma suíte com as tais músicas feitas na placa de som Soundboard II do PC-8801 e foram excluídas, como “In the Castle”, “Boss Fight”, “Flight”, “The Seven-Headed Monster” e “Space Flight”, e uma suíte do Actraiser 2, com “Industen & Benefic”, “Death Field & Almethea”, “Epilogue” e “Tanzra Returns”. Pura especulação, todavia acredito que os direitos autorais da trilha do Actraiser sejam do próprio Koshirão, haja vista o álbum Yuzo Koshiro Best Collection vol. 1, que também teve músicas de Misty Blue e Beyond Oasis. Mas agora que você me alertou paras outras séries, creio que uma maratona de oito horas, pelo menos, seria o tempo ideal para um concerto com todas as franquias da Square Enix.

    Espero qua a popularidade avassaladora de “Scars of Time”, “One-Winged Angel” e “Liberi Fatali” não impeçam no concerto o afloramento de outras tantas esquecidas pelo tempo.

  3. 3 Eric 17/01/2009 às 2:52 pm

    Já que Enix/tri-Ace e Valkyrie Profile foram citados, não poderia deixar de sugerir duas músicas – “To the Unhallowed Ground ~ The Neverending Cycle of Reincarnation” e “Valhalla”, as duas do primeiro VP1, que ao meu ver ficariam fantásticas se orquestradas – as versões presentes no “Valkyrie Profile Arrange Album” são apenas rearranjadas com melhores sintetizadores.

  4. 4 Alexei Barros 17/01/2009 às 6:29 pm

    “Valhalla” e “The neverending cycle of reincarnation (essa que eu linkei é a que você se refere? Por conta das traduções diferentes não bateram os nomes) são magníficas, imagino com um coral principalmente. Outra que sou fascinado é a “The Time When a Man is No Longer a Man” – esse coro sinistro no início é o que há.

    Falando de tri-Ace, não nos esqueçamos também de Radiata Stories, cuja trilha é do mestre Iwadare.

  5. 5 Wesley Pires 19/01/2009 às 11:44 am

    Uma boa é que o Masashi Hamauzu tambem participe, já que ele participou ativamente dos ultimos trabalhos envolvendo Final Fantasy. É meu palpite.

  6. 6 Alexei Barros 19/01/2009 às 12:16 pm

    Wesley, de fato o Hamauzu é uma boa aposta não apenas porque tem FFX e XIII entre os seus trabalhos, mas também porque é alemão. Ele se sentiria em casa afinal de contas. Inclusive o produtor do Symphonic Fantasies, Thomas Böcker, foi o coordenador de produção em Munique do álbum Vielen Dank.

  7. 7 Wesley Pires 19/01/2009 às 2:07 pm

    Hah, seria legal pacas mesmo. Não sabia que ele é alemão.

  8. 8 fezones 21/01/2009 às 7:47 am

    Seria legal a presença da To Zanarkand (FFX) e Yuna’s Determination (FFX), que têm versões bem bacanas no 20020220 music from Final Fantasy, e do Tenderness in the Air (FFV), acho que do Dear Friends, que também é o fino da bossa, apesar de não ter nada a ver com bossa, rá!

    Mas uma boa mesmo seria um Hadouken Symphonic: Perfect Selection, com os Mestres em pessoa mostrando todas suas habilidades musicais… Garanto que o setlist seria fenomenal, mas só isso xD

  9. 9 Alexei Barros 21/01/2009 às 9:40 am

    @ fezones

    Cheguei a enviar algumas perguntas ao produtor em relação às possibilidades do repertório (especificamente FFXII e XIII), e ele me respondeu que, como o concerto visa a atingir vários tipos de público, incluindo os não-jogadores, músicas que os mais hardcore conhecem a fundo tendem a aparecer também, pois são essas que vão atrair as pessoas que não conhecem game music. Colocaria nesse cenário a “At Zanarkand”, bem mais tocada do que a “Yuna’s Determination”, é verdade. Minha aposta é que os segmentos virão no formato de suítes, o que possibilitaria abarcar várias faixas em menos tempo, e assim conciliar músicas novas e outras já conhecidas.

    Ah, de novo o problema das traduções diferentes… Você saberia me dizer qual faixa e qual CD está a “Tenderness in the Air” na OST para eu tentar localizar a ocasião em que foi orquestrada?

    Sobre o Hadouken Symphonic: Perfect Selection, conta campainha e flauta doce também? Estaria mais para um Hadouken Piano Collection by Hitzschky. :D


  1. 1 Professor Layton: uma escola de música « Hadouken Trackback em 31/01/2009 às 12:34 am
  2. 2 “Fanfare Overture” – Symphonic Fantasies « Hadouken Trackback em 09/03/2009 às 1:49 pm
  3. 3 Symphonic Fantasies: as fantasias que se tornam realidade « Hadouken Trackback em 25/09/2009 às 3:20 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr bannerlateral_consolesonoro bannerlateral_zeebobrasil bannerlateral_snk-neofighters brawlalliance_banner_copy
hadoukeninenglish hadoukenenespanol hadoukenenfrancais hadoukeninitaliano hadoukenindeutscher hadoukenjapones

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.545 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: