Aperte start para ouvir

Por Alexei Barros

Recentemente descobri a existência do Press Start ~ Symphony of Games ~, concerto de game music tocado pela Tokyo City Philharmonic Orchestra em setembro de 2006 no Japão e  planejado por Nobuo Uematsu, Shogo Sakai, Masahiro Sakurai, Kazushige Nojima e Taizo Takemoto. Compareceram ao espetáculo Shigesato Itoi, Masato Kouda, Tetsuya Shibata, Koji Kondo e Michiru Oshima.

Tive a oportunidade de ouvir uma gravação de áudio amadora do concerto (popularmente conhecida como bootleg) realizado no Bunkamura Orchard Hall em Tóquio. Depois de conhecê-lo, minha impressão de que o repertório do Video Games Live é incompleto aumentou ainda mais, se bem que o set list ideal demoraria várias horas para ser executado. Enquanto as outras apresentações não aportam no Brasil, como o PLAY! A Video Game Symphony, por exemplo, que também faz turnês pelo mundo, vou usar o VGL como referência. Curioso notar que se comparado com o VGL, o Press Start tem apenas uma música em comum, que é o tema do Metal Gear Solid 2.

Ato I

01 – “Main Theme” (Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty)
Original: “Metal Gear Solid Main Theme”

Composição: Tappy Iwase
Arranjo: Harry Gregson-Williams
Orquestração: Kousuke Yamashita

Não adianta: mesmo após o advento do retroativo Metal Gear Solid 3: Snake Eater, o tema de Sons of Liberty com o arranjo cinematográfico de Gregson-Williams permanece como a música que melhor compendia a série. A reprodução da Filarmônica de Tóquio, orquestrada por Kousuke Yamashita, é fidedigna nas passagens de metais e cordas, com tênues diferenças: as batidas sintetizadas foram excluídas e a percussão é muito mais acentuada.

02 – “Puzzle Medley” (diversos)
Originais: “Title Theme” (Meteos) ~ “Fever” (Dr. Mario) ~ ”The Last Puyo Puyo” (Puyo Puyo)~ “Clotho” (Columns)  ~ “Type A” (Tetris – Game Boy) ~ “Chill” (Dr. Mario) ~ “Alone Puyo Puyo” (Puyo Puyo) ~ “Lip’s Theme” (Panel de Pon) ~ “Technotris” (Tetris – Arcade)

Composição: diversos
Arranjo: Nobuyuki Nakamura

Se fosse um medley como o “Dr. Mario” de Super Smash Bros. Melee Smashing… Live! ou de Tetris já seria formidável, mas foi de feito uma mistura de vários temas de puzzles tradicionais (os dois mencionados, representados com mais de uma música, além de Columns, Puyo Puyo e Panel de Pon) e o recente Meteos, cujo conceito de jogo é de Masahiro Sakurai. Grande orquestração de Nobuyuki Nakamura, que participou de Real Bout Garou Densetsu Special Arrange Sound Trax e King of Fighters Symphonic Sound Trax.

03 – “PoPoLoCrois Story” (PoPoLoCrois Story)
Originais: “Pietro’s Departure” ~ “Gami Gami City” ~ “PoPoLoCrois Castle” ~ “The Ice Devil”

Composição: Yoshiyuki Sahashi
Arranjo: Nobuyuki Nakamura

PoPoLoCrois era uma série que o ocidente desconheceu até 2005, quando o jogo homônimo, uma junção dos dois primeiros capítulos do PlayStation, PoPoLoCrois Story e PoPoLoCrois Story II, de 1996 e 2000, foi lançado para PSP. A canção “Pietro’s Departure”, originalmente com a voz de Yoshie Okuyama, abre o medley em versão sinfônica. O trompete anuncia a melodia de “Gami Gami City”, que se estende com a aura militar conferida pelas batidas da bateria, as flautas e metais caóticos. “Popolocrois Castle” tinha tudo para ser reproduzida com violão (instrumento que a original imita), e é feita com flautas. E “The Ice Devil” você imagina no piano, e são os metais que prevalecem. Nobuyuki Nakamura conseguiu a proeza de optar por uma instrumentação diferente da que seria a mais óbvia e ter como resultado o fabuloso.

04 – “Mother Medley” (Mother, EarthBound e Mother 3)
Originais: “Eight Melodies” (Mother) ~ “Eight Melodies” (EarthBound) ~ “Snowman” (Mother) ~ “LOG-O-TYPE” ~ “Porky’s Theme” ~ “MOTHER 3 ‘Love Theme'” (Mother 3)

Composição: Keiichi Suzuki, Hirokazu Tanaka e Shogo Sakai
Arranjo: Shogo Sakai

Da franquia de Shigesato Itoi, “Theme of Eagle Land” e “Because I Love You”, ambas de Earthbound, foram tocadas no Orchestral Game Concert 2 e a segunda ainda foi reprisada no OGC3. O “Mother Medley” é muito mais significativo e nostálgico, com uma seleção que não passa pelas duas. Relembra o primeiro Mother, visita EarthBound e encerra com Mother 3. Não para menos, Shogo Sakai, arranjador do medley tem tamanha intimidade com as músicas. Ele compôs a trilha do último da série para GBA, e otimizou a escolha de instrumentos.

05 – “Splash Wave” (OutRun)
Original: “Splash Wave”

Composição: Hiroshi Miyauchi
Arranjo: Kazuhiko Toyama

As orquestrações das músicas de OutRun limitavam-se ao trabalho de Richard Jacques em Out Run 2, com “Passing Breeze” e “Magical Sound Shower”, que pipoca em um excerto do “Classic Arcade Medley” do VGL. “Splash Wave”, por sua vez, permanecia estabelecida em diferentes estilos (a releitura do britânico, por exemplo, é eletrônica), e no PS 2006 recebe pela primeira oportunidade a roupagem sinfônica no ano de comemoração de duas décadas de aniversário da série. Metais e violinos formam a introdução, no momento em que irrompe a guitarra de Haruo Kubota à la anos 1960 em meio à Filarmônica de Tóquio.  Misturá-los é um desplante. Simplesmente extraordinário.

06 – “Beyond the Bounds” (Zone of the Enders: The 2nd Runner)
Original: “Beyond the Bounds”

Composição: Maki Kirioka
Arranjo: Kazuhiko Toyama

A “Beyond the Bounds” original já não possuía o apelo pop para o ouvinte casual, e o jogo de onde ela vem, Zone of the Enders: The 2nd Runner, é um título cult que não obteve vendas astronômicas. A inclusão é arrojada, e a execução igualmente. A mesma vocalista da OST, Maki Kimura, é quem canta, mas não por isso a versão ao vivo ficou semelhante. Perdem-se a batida eletrônica e os assustadores murmúrios, e ganha força a imponência dos metais. A diferença principal é referente ao solo de violino no intermédio, aqui reproduzido pela guitarra, novamente no comando de Haruo Kubota. Melhor? Apenas diferente.

07 – “Ys Medley” (Ys e Ys II)
Originais: “Feena” ~ “First Step Towards Wars” (Ys) ~ “To Make the End of Battle” (Ys II)

Composição: Yuzo Koshiro
Arranjo: Kousuke Yamashita

Entre tantos álbuns lançados da série Ys, Symphony Ys trouxe já em 1988 versões orquestradas dos dois primeiros capítulos, com arranjo de Kentaro Haneda. Na estréia de Ys nos concertos, Kousuke Yamashita fez um arranjo novo que, curiosamente (ou propositalmente) reúne três composições que hoje se sabem que são de Yuzo Koshiro, apesar de no programa do PS 2006 estar creditado como Falcom Sound Team JDK. As três também estavam no álbum: “Feena” (tela-título) e “First Step Towards Wars” (Grasslands) na suíte “First Movement ~from Ys~”, que finaliza com “Palace” (primeiro templo) e a “To Make the End of Battle” (tela-título) abria a “Fourth Movement ~from Ys II~”, que ainda abraçava uma trinca de faixas de Ys II. No fim das contas, Yamashita não viceja o requinte de Haneda, uma vez que o segundo, de maneira genial, inseriu sutis floreios que enobreceram as músicas. Yamashita foi para uma via mais burocrática, o que não impediu de manter a identidade das originais.

Ato II

08 – “Overture ~ Opening Title” (Romancing SaGa)
Originais: “Overture” ~ “Opening Title”

Composição: Kenji Ito
Arranjo: Kenji Ito

Ninguém melhor do que o próprio compositor para compreender quais são os melhores instrumentos para executar as melodias sintetizadas. Exatamente o que Kenji Ito fez para o remake Romancing SaGa (PlayStation 2, 2005) do RPG do Super Famicom de 1992. “Overture – Opening Title” foi repartida em “Overture” e “Opening Title” na releitura, e no PS 2006 voltaram a ser tocadas em seqüência, com Kenji Ito no piano. A adaptação é soberba. Lamentável que o jogo como um todo não acompanhe a qualidade das músicas.

09 – “Proof of a Hero” (Monster Hunter)
Original: “Proof of a Hero”

Composição: Masato Koda
Arranjo: Shiro Hamaguchi

Formosa peça sinfônica do afamado (no Japão e nem tanto pelas bandas ocidentais) RPG de ação da Capcom do PlayStation 2 lançado em 2004 que recebeu arranjo de Shiro Hamaguchi, o principal orquestrador das músicas de Nobuo Uematsu para os concertos recentes de Final Fantasy. Sem rodeios ou invenções, “Proof of a Hero” é interpretada pela Filarmônica de Tóquio de forma praticamente idêntica da original, com semelhante solenidade.

10 – ICO -You Were There- (ICO)
Original:“ICO -You Were There-”

Composição: Michiru Oshima
Arranjo: Michiru Oshima

Quando você pensa que acabou a ousadia, vem ICO, lançado em 2001, e nem foi um sucesso estrondoso. Tema dos créditos, “ICO -You Were There-”, foi cantada no jogo pelo jovem britânico Steven Geraghty, nascido em 1987. Na versão do PS 2006 é interpretada pela mesma Maki Kimura de ZOE: The 2nd Runner. Mas a mudança mais peremptória é na instrumentação. Madeiras fazem a vez do teclado, e desaparecem violão, baixo e os sons de ambiente (assobios de pássaros e outros indecifráveis). Em compensação, a implementação de percussão, cordas e metais condicionam maior grandiosidade à singeleza da canção. Entre perdas e ganhos, a orquestrada é melhor, se bem que a definitiva seria com todos os instrumentos.

11 – “Namco Arcade Medley” (diversos)
Originais: “Fanfare” (Pole Position II) ~ “Star Sound Reflux” (Gaplus) ~ “Main Theme~Star Command” (Thunder Ceptor) ~ “Theme of Floor Start ~ Main BGM ~ Dragon” (The Tower of Druaga) ~ The Dragon Buster ~ “Theme of Large Mode” (Genpei Toumaden) ~ Metro Cross ~ Mappy ~ Libble Rabble ~ Sky Kid ~ “Name Entry” (The Tower of Druaga)

Composição: diversos
Arranjo: Kazuhiko Toyama

Segundo medley que engloba jogos clássicos de diferentes franquias, agora com o ponto comum o fato de serem Arcades da Namco. Blips blops primitivos se transformam em uma sinfonia sob o arranjo mágico de Kazuhiko Toyama, experiente na orquestração. Sem reclamações para a música em si. Quanto à seleção, há Gaplus (vulgo Galaga 3), Tower of Druaga, Mappy, Libble Rabble, Sky Kid… Porém, inacreditavelmente, ausentam-se Rally-X e Pac-Man! Como pode em quase nove minutos não existir uma menção sequer a dois games tão importantes?

12 – “The Legend of Zelda Medley 2006″ (The Legend of Zelda, The Legend of Zelda: A Link to the Past e The Legend of Zelda: Ocarina of Time)
Originais: “Overworld” (The Legend of Zelda) ~ “Dark World” (The Legend of Zelda: A Link to the Past) ~ “Zelda’s Theme” ~ “Overworld” (The Legend of Zelda: Ocarina of Time)

Composição: Koji Kondo
Arranjo: Mahito Yokota

Não engloba Majora’s Mask, The Wind Waker e Twilight Princess, e nem fez falta. A seleção de faixas da série das mais felizes, com os temas mais icônicos e que estão mais frescos na memória – esqueça músicas de encerramento. Abre com a familiar “Overworld”, caminha por “Dark World”, emociona com a “Zelda’s Theme”, fechando na seqüência com “Overworld” de Ocarina of Time. De inspiração ímpar, é possivelmente o melhor medley sinfônico de Zelda de todos os tempos.

13 – [Bis] “Final Fantasy Main Theme” (Final Fantasy)
Original: “Opening Theme”

Composição: Nobuo Uematsu
Arranjo: Shiro Hamaguchi

Música que não constava no programa, representa a série Final Fantasy, ainda que “One-Winged Angel” ou “Liberi Fatali” sejam tocadas com mais freqüência. Orquestrada, estreou no concerto Final Fantasy Symphonic Suite, de 1989, com arranjo de Katsuhisa Hattori, na abertura da suíte “Scene III” acompanhada por outras duas músicas do primeiro jogo. No PS 2006, no entanto, foi apresentada a versão de Shiro Hamaguchi, debutada no 20020220 music from Final Fantasy, de 2002, que, grosso modo, não muda muito e enternece igualmente.

14 – [Bis] “Main Theme” (Super Smash Bros. Brawl)
Original: “Main Theme”

Composição: Nobuo Uematsu
Arranjo: Shogo Sakai

Muito antes de o jogo ser lançado, o tema de Brawl estreou no PS 2006 em versão instrumental. A ópera magnificente que debutou no trailer de revelação do Brawl E3 2006 perde bastante força com a ausência de vocalistas e do coral, mas não deixa de ser uma música pomposa, com somente dois minutos de duração e, como no tema de FF, tocada de surpresa. Mérito pelo pioneirismo, não obstante a execução não fazer por merecer a original.

Conclusão

Ousadia não é voltar a realizar um concerto de diversas franquias depois de um hiato de 11 anos – o último fora o Orchestral Game Concert 5 em 1995. Ousadia é iniciar uma nova récita com jogos cult como ICO, Romancing SaGa, Zone of the Enders: The 2nd Runner, Ys e Mother. Seleções mainstream há também: Metal Gear Solid 2, Zelda, Final Fantasy e a estréia de Super Smash Bros. Brawl. Os dois medleys clássicos são embevecedores (apesar das imperdoáveis omissões de Rally-X e Pac-Man), e a “Splash Wave” sintetiza o que há de mais arrojado ao unir guitarra e orquestra. Mesmo sem coral, o Press Start 2006 ~Symphony of Games~ mostra que é no Japão onde ainda acontecem as melhores apresentações de game music.

Agradecimentos ao seanne por compartilhar o bootleg.

About these ads

15 Responses to “Aperte start para ouvir”


  1. 1 Gustavo Hitzschky 27/12/2006 às 3:53 pm

    Concordo com o que vc falou, Alexei…um show ideal duraria, no mínimo, umas cinco horas. Só quero que chegue o dia em que venha para o Brasil uma apresentação que junte músicas de Dragon Quest VIII e Shadow of the Colossus, essas sim umas das trilhas mais fantásticas dos últimos tempos.


  1. 1 Press Start 2007: O novo Orchestral Game Concert? « Hadouken Trackback em 08/10/2007 às 4:15 am
  2. 2 Confirmado concerto Press Start 2008 « Hadouken Trackback em 21/06/2008 às 2:17 am
  3. 3 Press Start 2008: a estréia de Wild Arms « Hadouken Trackback em 09/07/2008 às 5:08 pm
  4. 4 Músicas que não podem faltar no VGL – Parte 10 « Hadouken Trackback em 19/07/2008 às 8:52 pm
  5. 5 Músicas que não podem faltar no VGL – Parte 7 « Hadouken Trackback em 19/07/2008 às 8:58 pm
  6. 6 Músicas que não podem faltar no VGL – Parte 6 « Hadouken Trackback em 19/07/2008 às 9:15 pm
  7. 7 Músicas que não podem faltar no VGL – Parte 5 « Hadouken Trackback em 19/07/2008 às 10:41 pm
  8. 8 Press Start 2008: o retorno de Monster Hunter « Hadouken Trackback em 21/07/2008 às 10:39 am
  9. 9 Press Start 2008: a confirmação de Super Mario Galaxy « Hadouken Trackback em 14/08/2008 às 11:09 am
  10. 10 Press Start 2008: a cartada de Baten Kaitos « Hadouken Trackback em 18/08/2008 às 4:56 pm
  11. 11 Press Start 2008: a nostalgia de Final Fantasy IX « Hadouken Trackback em 11/09/2008 às 11:17 pm
  12. 12 O concerto restrito « Hadouken Trackback em 16/09/2008 às 8:39 pm
  13. 13 Press Start 2008: o regresso de Ys « Hadouken Trackback em 18/12/2008 às 8:20 pm
  14. 14 Músicas que não podem faltar no VGL – Parte 6 « Hadouken Trackback em 16/10/2009 às 11:21 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS

Twitter

Procura-se

Categorias

Arquivos

Parceiros

bannerlateral_sfwebsite bannerlateral_gamehall bannerlateral_cej bannerlateral_girlsofwar bannerlateral_gamerbr bannerlateral_consolesonoro bannerlateral_zeebobrasil bannerlateral_snk-neofighters brawlalliance_banner_copy
hadoukeninenglish hadoukenenespanol hadoukenenfrancais hadoukeninitaliano hadoukenindeutscher hadoukenjapones

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.536 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: